Plataforma mineira de gestão turística é referência nacional

Modelo inclui compartilhamento de informações e integração entre municípios e políticas públicas

01

A eficiência da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) na criação de uma ferramenta própria para o tratamento de dados sobre turismo, amparada na parceria com os municípios mineiros e Instâncias de Governança Regionais (IGRs), tornou-se referência nacional. O modelo que chamou atenção do setor é chamado Plataforma Integrada do Turismo (PIT). Ele permite atualizar informações on-line e foca na interatividade com turistas de diversas localidades.

Na quarta-feira, 6 de maio, a área técnica da Secult apresentou a ferramenta ao Ministério do Turismo e gestores de órgãos públicos oficiais de Turismo de 14 estados do Brasil. A apresentação, por videoconferência, contou com a participação de cerca de 40 pessoas.

Na abertura, o secretário adjunto de Cultura e Turismo, Bernardo Silviano Brandão, afirmou que a ferramenta tem sido importante para nortear políticas públicas, valorizar e potencializar o turismo e todas as atividades vinculadas ao setor. “Em tempos de crise, é preciso pensar coletivamente e compartilhar boas ideias para que, juntos, possamos ver o turismo ganhar fôlego para sua retomada, que será um dos principais pilares de recuperação econômica e social não só para Minas Gerais, como também para todo o país”, afirmou.

Ferramenta gratuita

Os técnicos explicaram as funcionalidades da plataforma, que pode ser cedida gratuitamente a secretarias e outros órgãos públicos da área. Entre os principais benefícios da ferramenta estão o sistema simples e intuitivo, com boa navegabilidade e acesso facilitado por diversos tipos de equipamentos eletrônicos.

Também foram citados a segurança da informação com preservação do conteúdo para Estado, IGRs e municípios; base ilimitada de conteúdos para criação ágil de websites promocionais e geração de conteúdo para planejamento de atividades, além do controle de pendências por meio de um painel geral para facilitar a concentração de esforços.

Há, ainda, funcionalidades específicas e personalizáveis como gestão de usuários e níveis de acesso específicos, além de cadastro, controle e acompanhamento de inventário, fluxo de aprovação com status, histórico de alterações, relatórios sintéticos e analíticos, entre várias outras possibilidades.

Portal Minas Gerais

A Plataforma Integrada do Turismo (PIT) é visualizada no Portal Minas Gerais e no perfil do Instagram, que promovem o estado como destino e interligam toda a rede do turismo mineiro, com a vantagem de estreitar a relação entre turistas e equipamentos turísticos.

O portal tem como alicerce o Inventário da Oferta Turística, que é alimentado na PIT pelos municípios e IGRs mineiros e se configura como o principal instrumento de levantamento, identificação e registro da oferta turística de cada região.

A inserção dos dados no Inventário, além de ser condição obrigatória para a participação de municípios na Política de Regionalização do Turismo de Minas Gerais, permite que a plataforma mantenha informações atualizadas sobre infraestrutura de apoio ao turismo, serviços e equipamentos turísticos e atrativos de todo o estado. Isso reflete não só em uma base de dados confiáveis para o turista, como também norteia as políticas públicas da Secult para a promoção e para combate a possíveis ameaças ao setor.

Atualmente, o Portal Minas Gerais concentra mais de 12 mil equipamentos turísticos, cerca de 5 mil atrativos turísticos, mais de 31 mil formulários aprovados, mais de 2 mil eventos turísticos, e conta com a participação de mais de 600 municípios e das 47 IGRs.

Todo o trabalho para coleta e inserção dos dados pelos municípios regionalizados conta com a colaboração dos gestores das IGRs que orientam, verificam e aprovam os formulários, antes da validação da Secult, o que dá aos usuários mais confiança no uso das informações.

Plataforma Integrada de Turismo

A ferramenta concebida pela Secult tem o objetivo de permitir a gestão eletrônica dos municípios por meio da metodologia do Inventário da Oferta Turística.

A solução sistêmica reduz a tramitação de papel, fornece uma base de informações para o planejamento, gestão e promoção da atividade turística na localidade, além de possibilitar e facilitar a criação de websites promocionais ao órgão, empreendedores e demais agentes que utilizarem a ferramenta.

*Com informações da Agência Minas.

LEIA MAIS

Comentários