Pesquisa de Demanda Turística traça o perfil dos visitantes em Minas Gerais

Com o objetivo de traçar o perfil dos visitantes em Minas Gerais durante a baixa e média temporada do ano de 2017, o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG), realizou a Pesquisa de Demanda Turística.

As informações foram recolhidas entre os dias 16 a 29 de janeiro, com aplicação de 2.733 questionários em 39 municípios mineiros determinados de forma estratégica. A margem de erro é de 2%. A pesquisa prioriza ainda detectar as motivações, a satisfação e as expectativas de quem esteve em diversos destinos turísticos do Estado.

A motivação de viagem dos visitantes que visitaram Minas Gerais foi bem distribuída, sendo que 37% das pessoas viajaram a lazer ou a passeio. Logo atrás, estão os motivados a visitar amigos e parentes (30%) e, em seguida, aparecem os motivados a negócios com 16%.

Dentre as pessoas que viajaram motivadas a lazer ou passeio, 46% buscaram o turismo cultural. Essa informação também foi observada durante a série histórica da pesquisa, que resultou na criação da campanha da Setur-MG:  “Venha viver a sua história”.

Os que buscaram o contato com a natureza – ecoturistas – representaram 33%, seguidos dos 6% que procuraram eventos e/ou diversão noturna.

De acordo com o perfil levantado, 62% dos visitantes são do próprio estado de Minas Gerais, seguido por São Paulo (15%) e Rio de Janeiro (10%). A idade média dos pesquisados foi de 37 anos.

Em relação à organização da viagem, 50% dos visitantes afirmaram que já conheciam a cidade na qual foram entrevistados e 93% citaram que organizaram a viagem por conta própria. Nota-se também que 52% chegaram à cidade visitada de ônibus.

De forma positiva, 88,2% dos entrevistados afirmaram que a visita em Minas Gerais atendeu ou superou as expectativas, e 90% dos visitantes ainda afirmaram que pretendem retornar ao estado nos próximos dois anos.

O nível de satisfação do visitante, que abrange serviços ou dimensões turísticas tais como segurança pública, qualidade de hospedagem e opções de lazer, recebeu nota média de 8 numa escala de 1 a 10. Com as maiores avaliações, destacaram os serviços de hospitalidade (8,9), gastronomia/restaurantes (8,8) e qualidade da hospedagem (8,8).

O tempo médio de permanência no estado durante essa temporada foi de 8,7 dias. Os visitantes motivados pelo lazer ficaram em média 4,4 dias e os visitantes motivados a negócios permaneceram 16,7 dias.

Em relação aos gastos realizados durante a viagem, a pesquisa apontou que cada visitante desembolsou, em média, R$106,60 por dia, totalizando um gasto médio de R$ 927,42 em toda a sua viagem.

Planejando uma próxima viagem, alguns circuitos mineiros geraram mais interesse pelos visitantes. O Circuito Turístico Serra da Canastra foi o mais citado, com 28,5% (Araxá, Sacramento e São Roque de Minas são alguns municípios que compõem o circuito).

A cidade de Belo Horizonte foi lembrada por 17% dos entrevistados, entrando na lista ocupando o segundo lugar das intenções de destinos. O Circuito Turístico dos Diamantes ficou em terceiro lugar, com 15% (Diamantina, Gouveia e Serro são alguns dos municípios que fazem parte do circuito).

A gastronomia foi considerada como a principal imagem do Estado pelos visitantes: 24% dos entrevistados afirmaram que ao pensarem nas palavras “Minas Gerais”, produtos da culinária tradicional mineira foram os mais citados.

Para o secretário de Estado de Turismo de Minas Gerais, Ricardo Faria, a pesquisa, que é realizada desde 2006, é essencial para traçar as estratégias de gestão e do setor de forma ampla.

“O estudo fornece uma série histórica de grande importância para análises estatísticas, gerando dados concretos do turismo. Assim, conseguimos criar políticas eficazes para as atividades que envolvem o setor alcançando resultados positivos em demandas desenvolvidas pela nossa equipe”, diz o secretário.

Vale ressaltar que em julho deste ano uma nova etapa da pesquisa de demanda turística será realizada nos mesmos destinos, considerando a alta temporada.

01

*Com informações da Agência Minas.

LEIA MAIS

Comentários