Parque Serra do Cipó inaugura Travessia Alto Palácio-Lagoa Dourada

O Parque Nacional da Serra do Cipó, gerido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), inaugura no sábado, 10 de outubro, uma trilha de 65 km que cruzará toda a extensão do parque. Esse trajeto está localizado na Serra do Espinhaço e a viagem inaugural será feita por servidores e voluntários que ajudaram na definição do percurso – o passeio irá durar três dias.

O projeto Travessias no Parque Nacional da Serra do Cipó terá três portais de entrada: Portaria do Alto Palácio, Portaria Areias e portal de acesso ao parque, que é localizado na Serra dos Alves, em Itabira. O grupo que fará a viagem inaugural sairá de Alto Palácio e seguirá para Lagoa Dourada. Um percurso que cortará toda a área do parque.

Criação do projeto Travessias
A iniciativa começou a ser articulada em setembro de 2014. Nessa etapa inicial o Conselho Consultivo, que permite a participação da comunidade na gestão do parque, aprovou uma resolução permitindo a criação das trilhas – desde que orientadas pelo plano de manejo.

Com a aprovação, servidores do ICMBio e conselheiros do parque passaram a se reunir com prefeituras e moradores das áreas que dão acesso ao parque. Em paralelo a essas reuniões, técnicos do instituto e brigadistas percorreram cada trecho da área ecológica para estabelecer o traçado da trilha e fazer os ajustes necessários.

Assim, ficou definido que o passeio pela trilha Alto Palácio-Lagoa Dourada pode ser feita em até cinco dias. O tempo de percurso será escolhido pelo visitante de acordo com o roteio que mais o interessar. Porém, cada roteiro poderá receber no máximo trinta pessoas, conforme é estipulado pelo plano de manejo.

Serra dos Alves e a Travessia
A comunidade de Serra dos Alves aprovou o projeto no dia 2 de setembro. A decisão foi confirmada em um encontro que reuniu o prefeito Damon Lázaro de Sena (PV), os chefes da Área de Preservação Ambiental (APA) Morro da Pedreira, Romina Belloni, e do parque, Flávio Cerezo.

Além da aprovação da Travessia, ficou acertado que uma escola municipal desativada será usada como posto comunitário de apoio turístico. O espaço será destinado para encontro de guias e condutores e para a divulgação do espaço e das rotas de travessia. Também irá servir como apoio para a brigada de incêndio, ações de educação ambiental e para reuniões da comunidade local.

Texto com informações do ICMBio.

Comentários