Observatório da UFMG orienta observação do eclipse lunar na mineira Catas Altas

Na madruga de segunda-feira, 21 de janeiro, aconteceu o primeiro eclipse total da Lua em 2019. Apesar do horário avançado, moradores e turistas não se intimidaram e observaram o fenômeno em Catas Altas, Minas Gerais, sob a orientação da equipe do observatório astronômico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Os cientistas montaram em frente ao adro da igreja de Santa Quitéria um aparato próprio para observação do fenômeno astronômico (que só deve voltar a acontecer em 2021). Os moradores locais e turistas puderam usar telescópios e binóculos para acompanhar o eclipse e a chamada Lua de sangue.

Além da observação, a equipe ficou durante o dia na Casa do Professor, com laboratório de física e astronomia, orientando turistas e moradores sobre o fenômeno do eclipse e da observação de vários corpos celestes.

O eclipse ficou totalmente visível no Brasil por mais de três horas, sendo a totalidade com duração de uma hora e dois minutos. A primeira fase parcial aconteceu das 1h34 às 2h41 da manhã. Já a totalidade, entre 2h41 e 3h43. Na ocasião, cerca de 60 pessoas estiveram nas atividades realizadas ao longo do dia.

Todo o processo de orientação e observação foi gratuito e fez parte de uma parceria entre a Prefeitura de Catas Altas e o Instituto de Ciências Exatas da UFMG (ICEx).

LEIA MAIS

Comentários