Catas Altas, em Minas Gerais, recebe doação de um jirau para fazer parte do Memorial do Vinho

Catas Altas, em Minas Gerais, recebeu recentemente do Instituto Cenibra a doação de um jirau e um esmagador, usados para fabricação de vinhos e fermentados de jabuticaba de modo artesanal

Os objetos vão fazer parte do acervo do Memorial do Vinho que está sendo montado no município e que irá funcionar no Centro Cultural Tenente-Coronel João Emery. O espaço já expõe algumas peças, entre elas dois tonéis doados pelo Padre Luiz do Vale, do Santuário do Caraça; balaio; cesto; garrafão; rolhadeira; entre outras.

Além disso, o Centro Cultural é utilizado para a realização de atividades do programa de Educação Patrimonial “Garimpando Nosso Patrimônio”. Segundo o chefe do departamento de Cultura, Eder Ayres Siqueira, o local recebe visitas de alunos das redes municipal e estadual e comunidade em geral. “Trazemos as crianças para contar a história da produção de vinho e fermentado de jabuticaba. Como tudo começou e como essa produção ajudou e ainda ajuda o município. No centro cultural, elas podem ter uma melhor visualização, através dos equipamentos, de como se dá o processo desde a colheita das frutas até o engarrafamento”, explica.

Memorial do Vinho

O Memorial terá como objetivo resgatar e divulgar a tradição do município na produção de vinho, que remete ao século XIX, quando as minas de ouro se esgotaram. Naquela época, por volta de 1868, chega à cidade o Monsenhor Manuel Mendes Pereira de Vasconcelos para ser o vigário do arraial. Logo, ele percebe a ausência de qualquer forma de cultura de subsistência na localidade e passa a plantar videiras para produção de vinho, transformando Catas Altas em referência no assunto.

Educação patrimonial

Além do resgate da importância do vinho para a cidade, o Memorial do Vinho vai ajudar no trabalho de educação patrimonial desenvolvido no município.

LEIA MAIS

Comentários