Belezas de Catas Altas são destaque em nova minissérie da Rede Globo e impulsiona turismo local

As belezas naturais e históricas de Catas Altas foram escolhidas para servirem de cenário da minissérie “Se Eu Fechar os Olhos Agora”, da Rede Globo de Televisão. O projeto ainda está sendo gravado, mas, antes mesmo de ir para o ar em 2019, já está impulsionando o setor turístico do município.

Diversos moradores e turistas de cidades vizinhas estão chegando para acompanhar as gravações e ver de perto os artistas que foram escalados para produção, entre eles, Murilo Benício, Mariana Ximenes, Débora Falabela, Antônio Fagundes, Jonas Bloch. Antônio Grassi, Marcos Breda, Lidi Lisboa e Paulo Rocha.

A série, um thriller, se passará na fictícia cidade carioca de Vila de São Miguel, em 1961, e contará a história de dois adolescentes que investigam um crime. Durante as cenas, vários pontos turísticos catas-altenses serão exibidos, como a Praça Monsenhor Mendes, a igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a Serra e o Santuário do Caraça, o centro histórico, o Bicame de Pedra, o distrito do Morro D’Água Quente, entre outros atrativos.

“O turismo de Catas Altas não será mais o mesmo depois que essa minissérie for exibida. Já notamos um crescimento no número de visitantes e a tendência natural é que isso se amplie ainda mais”, ressalta o secretário de Turismo e Cultura, Lucas Nishimoto.

O vice-prefeito de Catas Altas, Fernando Rodrigues Guimarães, explica que a escolha da cidade para esta produção veio em boa hora. “Desde que esta gestão assumiu em janeiro deste ano, iniciou-se um processo para recuperação e resgate do nosso turismo. Vários trabalhos estão sendo feitos com esse intuito e os resultados já estão aparecendo”, destaca.

Entre as ações que foram implantadas, estão a promoção de um curso para formação de agente de turismo rural, que já está acontecendo com previsão de conclusão no ano que vem. Também foi feito bloqueio para o acesso de veículos na área do Bicame de Pedra, para garantir a sua preservação, uma vez que se trata de um monumento construído por volta 1792 e tombado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Catas Altas.

A realização de eventos mais organizados e focados na promoção turística também foram prioridades neste ano. Entre eles: o Carnaval voltado para a família; a Festa do Vinho, que em 2017 entrou em sua 17º edição e trouxe como novidade o Festival Gastronômico; o retorno do Eco Inverno (com atividades culturais, de lazer e de aventura voltadas para todos os públicos); e a volta das cavalgadas da sede e do distrito do Morro D’Água Quente; entre outros.

Alguns outros projetos já estão em andamento, como a criação de diversos cursos voltados para capacitação e profissionalização do trade turístico local em 2018 e a contratação da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para prestação de serviço visando o desenvolvimento do turismo no município.

Todo esse trabalho fez com que a cidade retornasse ao Mapa do Turismo Brasileiro versão 2017-2019. Catas Altas esteve presente desde a primeira edição do Mapa, em 2004, permanecendo em todas atualizações, ficado fora em 2016.

De acordo com o Produtor de Locação da TV Globo, Carlos Paulino, “o fomento da economia criativa é a contrapartida que os projetos, no caso do audiovisual, traz para a cidade, onde está filmando. Criação de empregos temporários, ocupação hoteleira, figurantes, ocupação nos restaurantes e locações de espaços cênicos são algumas das vertentes do fomento da economia criativa. Mas isso só é possível se houver o apoio institucional do poder público. A Prefeitura de Catas Altas fez melhor que muitas film commission de grandes cidades”, escreveu ele em sua conta em uma rede social.

O município conta hoje com uma ampla rede hoteleira, composta por 16 pousadas, com aproximadamente 340 leitos. “Nunca na história de Catas Altas tivemos uma ocupação tão grande por um período tão longo. Praticamente toda a equipe, inclusive parte do elenco, optou por ficar na cidade”, completa Nishimoto.

Ainda que, na série, a cidade não seja Catas Altas, indiretamente, a visibilidade dos nossos atrativos será altíssima. “A Globo é uma emissora com alcance internacional. A Prefeitura não teria condições de promover a cidade nesta proporção. A visibilidade que o município vai ter é um lucro sem precedentes na região”, explica o assessor de comunicação Miguel Sá.

LEIA MAIS

Comentários