No ano em quem se lembra os 500 anos da morte de Leonardo Da Vinci, sua impressão digital é encontrada

Em maio desse ano, completará 500 anos que a humanidade perdeu uma da mentes mais brilhantes que já viveu: Leonardo Da Vinci. E um achado histórico vem causando euforia entre especialistas e historiadores. Estampado em uma obra feita entre 1509 e 1510, foi encontrada a impressão digital de da Vinci.

É um ensaio de anatomia humana que retrata o sistema cardiovascular de uma mulher. Acredita-se que, enquanto o artista manuseava o papel com as mãos sujas de uma tinta avermelhada, deixou a marca de seu polegar esquerdo na parte da frente, e um borrão do dedo indicador atrás da folha.

O desenho, atualmente de propriedade da família real britânica, está guardado no Castelo de Windsor sob os cuidados da Royal Collection Trust, organização que preserva e gerencia a coleção de arte herdada pela rainha Elizabeth II.

A marca do dedo de Da Vinci, foi encontrada por Martin Clayton, encarregado pelas impressões e desenhos da Royal Collection Trust. Ele chegou a dizer que nunca tinha visto nado igual e que é o mais perto possível que se pode chegar de Leonardo. Martin explicou ainda que impressões parciais, borradas e apagadas já tinha sido vistas em outros dos 550 desenhos que compõe a coleção real, mas nunca uma tão clara.

 (Royal Collection Trust/Divulgação)

O desenho com o dedão de Da Vinci carimbado será exposto ao público pela primeira vez a partir de fevereiro no Museu Nacional de Cardiff, na Inglaterra. A ideia é levar o desenho para ser exposto também em Londres e Edimburgo, junto das outras gravuras do acervo.

LEIA MAIS

Comentários