Já imaginou usar um óculos feito de garrafa plástica?

A marca britânica Cubitts pensou além disso e produziu a Redux, uma coleção de dez protótipos de óculos, em que cada armação deriva de um material reciclado diferente. Explorando formas de fabricação mais sustentáveis, a linha inclui plásticos reciclados, bioplásticos e armações feitas com cabelo humano, batata, milho e CDs antigos.

O intuito da Cubitts é, além de reduzir o desperdício, oferecer alternativas que gerem menos impactos ambientais. A marca ainda está testando se os resíduos reciclados podem oferecer versatilidade, beleza, conforto, leveza e durabilidade.

O modelo derivado de batata, por exemplo, é fruto de uma parceria com a Chips Board, empresa que produz materiais usando resíduos fornecidos pelo fabricante de alimentos congelados McCain. Outras duas armações, que derivam do milho. Um deles é feito de um material desenvolvido pelo designer Fernando Laposse usando a palha do cereal e o outro é confeccionado pela Crafting Plastics usando 100% de amido de milho.

O cabelo humano, doado pela equipe da Cubitts, foi transformado em uma resina biológica para criar uma armação em tons escuros. Outro design foi confeccionado de maneira semelhante usando lã de ovelha, fornecida pela empresa Solidwool. Há ainda aquelas das armações criadas a partir de embalagens plásticas de alimentos, garrafas de bebidas, potes de iogurte, mistura de embalagens e tábuas velhas, CDs antigos e até de micélio, parte vegetativa de um fungo.

Embora esses dez projetos sejam apenas protótipos, a Cubitts está otimista de que vários desses materiais possam ser usados no futuro ​​para produzir armações à venda. A marca já está produzindo uma linha usando lã e busca se tornar mais sustentável em todas as etapas do negócio. Atualmente, reduz as embalagens e doa todas as armações não utilizadas ao Kwale Eye Center, no Quênia.

LEIA MAIS

Comentários