Marca de cosmético se une à Unesco em causa ambiental

A conhecida marca de beleza francesa, Guerlain anunciou essa semana uma parceria revolucionária com a Unesco em prol de uma causa ambiental: aumentar o número de abelhas ao redor do planeta. Anunciado na sede da Unesco, em Paris, a parceria tem um prazo inicial de cinco anos para ser desenvolvida.

Antoine Arnault, diretor de Imagem e Comunicação do grupo LVMH, do qual a Guerlain faz parte, destacou a marca que já opera dentro dos códigos de sustentabilidade há 12 anos. “Um grupo como o nosso, cujas atividades estão ligadas intimamente aos recursos oferecidos pela natureza, simplesmente não pode ignorar as questões da biodiversidade”.

A abelha é o símbolo da Guerlain desde 1853, quando seu criador, Pierre-François-Pascal, decorou um vidro de água de colônia com o inseto. Além disso, existe dentro da sua linha de beleza, a Abelha Real, um dos carros-chefes da cosmética da marca.

Infelizmente, o índice de mortalidade de abelhas, atualmente é de 30%, sendo 25% maior do que o normal ou aceitável, segundo dados do Observatório Francês de Apicultura. A parceria entre Guerlain e Unesco se baseia na troca de informações e divisão de estruturas. A primeira etapa treinará novos apicultores nas reservas da Unesco em operações que envolvem cerca de 50 colmeias para cada profissional.

abelhas2

O Observatório Francês de Apidologia acompanhará tudo de perto. Será oferecido também suporte técnico e monitoramento para garantir o desenvolvimento sustentável e um modelo de negócios estável com medição do impacto benéfico da polinização nos ecossistemas locais.

A colaboração começa em 2020. Durante o chamado de ano-piloto serão treinados oito apicultores, dois em cada uma das quatro reservas da biosfera da Unesco na Etiópia, Ruanda, Camboja e China. Além disso, vinte pessoas por ano – durante quatro anos consecutivos – receberão treinamentos em dez reservas adicionais da biosfera em dez países diferentes. A ideia é multiplicar. Polinizar.

Para Meriem Bouamrane, coordenadora do EuroMAB Network, programa mundial que liga 52 países e 302 reservas de biosfera, a participação da Unesco garante a propagação do trabalho de recuperação da biodiversidade e conscientização universal. “É possível recuperar os desgastes que a natureza vem sofrendo se cada um fizer um pouco e se essa consciência for ganhando corpo. Por isso as abelhas, responsáveis pela polinização e pelo equilíbrio de toda a biodiversidade, são essenciais e prioritárias. Se cada um de nós criar condições para que a natureza se regenere, ela vai ser recuperada, por isso a importância de união entre cientistas da Unesco e grupos como LVMH. Uma ação vai fazendo efeito sobre a outra e assim conseguimos um engajamento mundial ao longo do projeto”.

A meta é treinar, até 2024, 88 apicultores em 44 reservas, estabelecendo uma rede internacional de profissionais capazes de compartilhar seus conhecimentos científicos e locais sobre o papel crítico desempenhado pelas abelhas e a polinização na garantia da segurança alimentar do planeta.

Atualmente, a Guerlain está entre as empresas mais próximas do ideal de sustentabilidade nos próximos anos. Até 2028 a marca será carbono neutro e acredita que o trabalho com as abelhas, já existente desde 2011, é mais uma grande conquista de um projeto que busca agir e engajar em nome da beleza e de seus clientes. A natureza agradece.

LEIA MAIS

Comentários