Um dos cartões postais de Minas Gerais, a gastronomia mineira é celebrada no dia cinco de julho

No dia 5 de julho, Minas Gerais comemora o Dia da Gastronomia Mineira. Instituída em 2012, a data é uma homenagem ao escritor Eduardo Frieiro, autor do primeiro livro de gastronomia dedicado à culinária mineira: “Feijão, Angu e Couve – Ensaio sobre a comida dos mineiros”.

Considerada um dos cartões postais de Minas Gerais, a gastronomia mineira é uma importante manifestação da cultura e, consequentemente, é um dos quesitos avaliados pelos turistas no momento de definir o destino. Recentemente, os visitantes elegeram, por meio da Pesquisa de Demanda Turística 2017, realizada pela Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur/MG), a gastronomia como a principal imagem do estado.

O grande destaque ficou por conta do famoso e tradicional pão de queijo, que se tornou um ícone da culinária local. Segundo dados do estudo, 24% dos entrevistados afirmaram que ao pensarem nas palavras “Minas Gerais”, produtos da cozinha tradicional mineira foram os mais citados.

Um bom mineiro sabe que nada é mais hospitaleiro e aconchegante do que o momento de sentar à mesa. Pensando nisso, a Secretaria de Estado de Turismo trabalha com intuito de divulgar e fomentar a gastronomia enquanto produto turístico, promotor de destino e fator gerador de renda.

“A gastronomia mineira é uma grande aliada do turismo. Por meio dela é possível projetar o nosso estado nacional e internacionalmente. Nossa oferta gastronômica é enorme, criativa e única e, por isso, estamos trabalhando para que ela continue sendo reconhecida”, afirma o secretário de Estado de Turismo de Minas Gerais, Ricardo Faria.

Culinária em destaque

Agregando aos projetos já executados pela Setur, o Governo de Minas lançou recentemente o programa “+Gastronomia” e a Casa da Gastronomia Mineira – Espaço Mineiraria, local destinado à promoção do setor, localizado no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte.

E não para por aqui. O tão famoso queijo de Minas Gerais encheu os mineiros de orgulho, no último mês, quando foi premiado pelo concurso Mondial du Fromage, no Salão do Queijo de Tours, cidade francesa, com 11 medalhas.

Com lugar especial dentro da gastronomia mineira, os queijos foram premiados com uma medalha de super ouro, sete medalhas de prata e três de bronze. Os quitutes regionais concorreram contra 700 produtos de 20 países.

Atualmente, o Brasil é o sexto maior produtor de queijo do mundo. Em 2002, o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (IEPHA), declarou a iguaria como “Patrimônio Imaterial”. E não parou por aí, o Instituto Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), reconheceu o queijo como “Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro”.

Minas Gerais é uma das regiões que têm mais produtos com certificado de origem e procedência, e conta também com 254 produtores de queijo minas artesanal registrados, em sete regiões: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro.

Para acompanhar os queijos e a boa prosa, o café é a melhor opção.  Minas Gerais detêm o título de maior produtor de café do Brasil, com cerca de 25 milhões de sacas produzidas em 2013 e é também o maior exportador do produto no país. O café tem importância econômica em 520 municípios de Minas Gerais. Cerca de 52% da safra brasileira é mineira e corresponde a 66,5% da exportação total, chegando a mais de 60 países do mundo.

Quer mais motivos para celebrar a gastronomia? Referência no país e no mundo, o Estado de Minas Gerais é detentor de 50% da produção nacional da cachaça. No Brasil existem 25 mil alambiques, sendo que 8.500 estão em Minas Gerais, conforme dados do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (SindBebidas). É o terceiro destilado mais consumido no mundo, segundo a entidade.

Além disso, Minas Gerais é o segundo maior produtor de cervejas artesanais do Brasil, atrás apenas de Santa Catarina. Dezenas de fábricas e centenas de cervejeiros caseiros são responsáveis pela produção que vem rendendo ao estado o apelido de Bélgica brasileira. Dos 120 estilos existentes no mundo, 55 já são reproduzidos por aqui. A qualidade da produção já rendeu prêmios para as microcervejarias mineiras em concursos internacionais em Blumenau, na França, na Argentina, no Chile e na Bélgica.

*Com informações da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais.

LEIA MAIS

Comentários