Rio de Janeiro tem um novo patrimônio imaterial: a caipirinha

Os amadores de bons drinques tem uma novidade para comemorar. Considerada a bebida símbolo do Brasil, a caipirinha acaba de ser declarada patrimônio imaterial do estado do Rio de Janeiro. O reconhecimento do famoso coquetel de cachaça foi publicado na edição desta quinta-feira, 24 de outubro de 2019, do Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, após sanção do governador Wilson Witzel (PSC). ]

A proposta de tornar a caipirinha patrimônio imaterial partiu do deputado estadual Paulo Ramos (PDT), no Projeto de Lei 4334 de 2018, ano em que o drinque completou cem anos. O resultado final da união de limão, cachaça, gelo e açúcar, é bebida obrigatória para quem pisa em terras brasileiras.

Apesar do Rio de Janeiro ter reivindicado a caipirinha como seu patrimônio imaterial, há registros históricos que comprovam que a bebida é uma criação paulista, mais especificamente da região de Piracicaba. Segundo o  historiador Luís da Câmara Cascudo, o coquetel data do século 19 e, somente no século 20, chegou ao Rio de Janeiro.

Já o Instituto Brasileiro da Cachaça comprova a criação com paulista e acrescenta que seu sucesso pelo país teria ocorrido a partir da Semana de Arte Moderna, de 1922, com a popularidade que o drinque ganhou entre os artistas da época.

LEIA MAIS

Comentários