Já pensou em prevenir a depressão com chocolate amargo?

Pois uma pesquisa recente, conduzida por pesquisadores da Universidade College London, na Inglaterra, acaba de mostrar o consumo de chocolata do tipo amargo diminui risco de ter depressão. O estudo cruzou dados como altura, estado civil, escolaridade, renda familiar, tabagismo e problemas crônicos de saúde de quase 14 mil adultos norte-americanos.

Os resultados apontaram que pessoas que afirmaram ter comido chocolate amargo nas últimas horas apresentaram uma probabilidade 70% menor de desenvolver sintomas de depressão. Além disso, 25% dos amantes de chocolate que comiam mais do doce (de qualquer tipo, não apenas amargo) eram menos propensos a relatar sintomas depressivos do que aqueles que não tinham o hábito de comer a guloseima.

Mas, os pesquisadores não encontraram ligação significativa entre o consumo de outros tipos, como ao leite ou branco com sintomas depressivos clinicamente relevantes. Há planos para o aprofundamento da pesquisa para esclarecer a direção de causalidade quem a depressão faça com que as pessoas percam o interesse em comer chocolate.

Novas pesquisas também devem esclarecer que há outros fatores que tornam as pessoas menos propensas a comer chocolate amargo ao ficarem deprimidas. Trabalhos anteriores já relacionaram o consumo de chocolates em geral com um bom humor. O alimento tem nutrientes que contribuem para a sensação de felicidade. O doce do cacau também é reconhecido por conter feniletilamina, um neuromodulador importante para o equilíbrio emocional.

O chocolate amargo se destaca por ser rico em flavonóides, substâncias químicas antioxidantes associadas à prevenção da tristeza profunda. Os estudos não explicam, entretanto, como isso acontece. Os pesquisadores destacam que é preciso compreender o mecanismo biológico para determinar o tipo e a quantidade de consumo de chocolate para ajudar na prevenção e no tratamento da depressão.

LEIA MAIS

Comentários