Um shape e quatro rodinhas: itabirano é campeão regional de skate na Irlanda

A primeira foto de Vitor Martins com um skate foi aos quatro anos, mas foi só em 2001, aos 13 anos, que começou a andar e a praticar o esporte pra valer. Na época a “pista” era a praça do Rotary, no bairro Amazonas, em Itabira. Depois, as possibilidades se abriram e outras cidades se tornaram palco para os “rolês”. Agora, o mundo se abriu e o skatista itabirano vem mostrando o seu talento em outras praças, inclusive na Irlanda, onde acaba de ganhar o campeonato regional local.

skate_vitor_martins_04No último domingo, 18 de outubro, Vitor Martins participou do All Ireland Skaterboarding Championship 2015 – Leinster Qualifier, uma das etapas regionais do campeonato irlandês de skate, realizado na província de Leinster. E o skatista itabirano fez bonito e se sagrou campeão da disputa. O resultado o credenciou para a final nacional, que será disputada no dia 07 de novembro em Gorey, no condado de Wexford.

Antes de se destacar fora do país, Vitor Martins deu início à sua trajetória nos espaços que encontrava em Itabira. Da praça do Rotary passou a frequentar também a praça José Máximo Resende Filho, no Campestre, onde tem uma minirampa. “Eu morava no bairro Hamilton e tinha como vizinho e melhor amigo, Guilherme de Andrade, que também gostava de skate. Começamos juntos a frequentar a praça do Rotary, no bairro Amazonas, pois haviam obstáculos que foram construídos pelos skatistas locais”, conta Vitor Martins.

Algum tempo depois foi construída a pista do bairro Juca Batista, lugar em que o skatista passou a frequentar de maneira assídua. Mas, hoje em dia, Vitor Martins considera a Associação Metodista de Assistência Social (Amas) como o melhor local para praticar o esporte em Itabira, pois existe uma parceria com a Associação de Skatistas de Itabira (Askita) em projeto chamado Fé Radical.

Dos “rolês” de skate passou para as disputas de campeonato. O primeiro foi em meados de 2003, no Ginásio Poliesportivo Maestro Silvério Faustino,skate_vitor_martins_02 para então partir para disputas regionais em João Monlevade, Ipatinga e Governador Valadares. Além de disputas no Circuito Mineiro de Skate, Circuito Drop Dead, em Curitiba, e várias outras competições. “Já perdi a conta de quantas disputei”, destaca.

Há oito meses morando na Irlanda, Vitor Martins já acumula experiência em disputas internacionais em 2015. Além da conquista no regional irlandês, o skatista participou em maio do European Series 2015 em Barcelona, na Espanha; em junho esteve no European Series 2015, em Londres, Inglaterra, e no Mystic Skate Cup, em Praga, na República Tcheca.

“Barcelona foi a minha primeira competição, estava muito feliz de estar lá e me diverti muito, acertei algumas manobras, mas não foi o suficiente para ir à final. Em Londres e Praga foi muito bom também, porém, eu estava machucado, pois torci meu pé gravemente aqui na Irlanda, uma semana antes de ir para Londres. Competi em ambos, mas apenas por diversão, era impossível ganhar na situação que eu estava”, relata Vitor Martins.

Apesar dessa rotina em meio a campeonatos, o skatista itabirano não possui uma rotina específica de treinamento. Para ele o esporte é, em primeiro lugar, uma forma de se divertir e encontrar com os amigos. Ainda sim o hobby já é levado bastante a sério. “Na verdade não tenho rotina de treino, não penso desta forma, ando sempre que posso, me divertindo com os amigos. No Brasil costumava ser nos finais de semana, aqui na Irlanda apenas quando não estou trabalhando e o sol aparece, pois o normal daqui é chuva”, conta.

Carreira profissional

skate_vitor_martins_03A trajetória que vem construindo no skate é parte dos planos de Vitor Martins para se profissionalizar nesse esporte. Embora ainda tenha um caminho a seguir, o skatista já traça os seus planos para realizar o sonho. O próximo passo é lançar um “vídeo parte” com as suas performances, além, é claro, de seguir disputando campeonatos.

Para se profissionalizar no Brasil um atleta precisa construir uma história no skate nacional. Vencer competições, ganhar destaque em revistas especializadas e apresentar vídeos com as performances são importantes dentro desse processo. O skatista ainda precisa contar com um patrocinador que garanta as condições básicas para a prática esportiva profissional – como salário mensal e fornecimento de material esportivo – e ter esse vínculo registrado na Confederação Brasileira de Skate (CBSK).

Vitor Martins já está nesse caminho e vem construindo a sua história. Não só no Brasil, mas também em outros lugares. E nesse percurso já conta com alguns apoiadores, como a Nollie Skateshop e Aspecto Decks, de Belo Horizonte.

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.