Microrregional dos Jogos Escolares de Minas Gerais chega ao fim com mais de seis mil disputas

Com a participação de 35 mil atletas entre 12 e 17 anos de 1.800 escolas públicas e particulares, terminou, no domingo, 18 de junho,  a Microrregional dos Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg). A competição, organizada pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Esportes (Seesp), em parceira com a Secretaria de Estado de Educação (SEE). Desde o dia 1º de maio, foram realizados 6.012 jogos em 49 cidades mineiras de todas as regiões.

Para o secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo, uma competição do porte do Jemg faz com que o desporto acarrete em grandes transformações na vida de cada aluno-atleta. “Quanto mais cedo uma criança ou um adolescente tiver contato com a prática esportiva e uma rotina de disputas melhores serão os efeitos  em sua fase adulta. Além da influência na saúde, o esporte garante maior disciplina para os estudo e perseverança em buscas dos objetivos de vida.”, afirma.

A Escola Estadual Joaquim Botelho, de Coromandel, Triângulo Norte, foi a instituição pública que mais teve equipes classificadas para a etapa Regional do Jemg, com 107 participantes. Foi campeã no futsal feminino mód. I, handebol feminino mód. I e II, handebol masculino mód. I e II, basquete masculino mód. II e voleibol masculino mód. II. Ou seja, das nove equipes que disputaram, sete garantiram a classificação. Os módulos – mód. -, cabe esclarecer, são as classificações dos times por faixas etárias dos alunos-atletas. O módulo I envolve participantes de 12 a 14 anos e, o II, até 17 anos.

Um dos professores de Educação Física que acompanhou os alunos da escola foi José Márcio Amaral, que atribui tal sucesso ao diálogo com os estudantes.

“Buscamos dar bastante incentivo para o esporte dentro da escola. Fazemos isso com uma conversa, no momento em que analisamos o que mais os agradam para ter retorno na competição”, declara. Ele ainda destaca que os exercícios físicos não devem ser ensinados como uma obrigação. “Temos sempre que motivar, por meio da troca de informação com os alunos. A Educação Física não pode ser punitiva ou forçar aquilo que não sentem gosto. A prática precisa ser feita por prazer”, aponta.

José vê que o fomento ao desporto desde a juventude irá dar suporte para o aluno em seu desenvolvimento como cidadão. “Se criam desde cedo o interesse pelo esporte, isso ajudará em sua formação humana. Um professor que trabalha sempre incentivando forma mais que um atleta”, ressalta.

O profissional também considera o Jemg como uma porta de entrada para a carreira profissional, como é o caso de Ivna Marra, ex-aluna da escola, e jogadora de vôlei. A atleta possui passagens pelo Sesi (SP), pelo Osasco (SP) – equipe na qual já conquistou a medalha de ouro no Campeonato Mundial – e pela Seleção Brasileira.

A esperança de boas atuações para as próximas fases está grande entre os alunos da escola. O professor comenta que à medida que a competição avança, os desafios aumentam. “Já conversamos com os estudantes, passando boas expectativas e ensinando que é mais do que ganhar ou perder. Porém, também precisam manter os esforços para seguirem em frente”, ressalta.

Regional, Estadual e etapas nacionais

A sétima etapa de execução da Microrregional foi realizada na última semana, revelando os últimos campeões do  Alto Caparaó (Caparaó), Baependi (Sul), Janaúba (Norte), Monte Carmelo (Triângulo Norte), Pompéu (Central) e Várzea da Palma (Norte). Clique neste link para conferir quais foram as escolas campeãs em cada Superintendência Regional de Ensino (SRE).

Os vencedores da primeira fase do Jemg estão classificados para a etapa Regional, que será executada de 10 a 15 de julho de 2017. Além Paraíba (Mata), Arcos (Oeste), Caratinga (Vale do Aço), Ituiutaba (Triângulo Norte), Lavras (Sul) e Montes Claros (Norte) irão receber as disputas.

Participam as escolas inscritas das seis cidades-sede, além dos times vencedores da microrregional nas modalidades coletivas (basquete, futsal, handebol e vôlei) e os quatro primeiros alunos-atletas colocados, em cada módulo e naipe, na modalidade de xadrez. Peteca e vôlei de praia passam a integrar a programação do evento a partir desta fase. Skate, rúgbi e flag football serão modalidades dessa fase em caráter de demonstração.

Já entre os dias 31 de agosto a 5 de setembro será realizada a última fase do Jemg, a Estadual. Nessa fase, também fazem parte os esportes paralímpicos: atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado. A modalidade de parabadminton acontece em caráter de demonstração.

A Estadual classifica os mineiros para as etapas nacionais, os Jogos Escolares da Juventude (JEJ) e Paralimpíadas Escolares, promovidos, respectivamente, pelos comitês olímpico e paralímpico do Brasil. Neste ano, o JEJ acontecerá em Curitiba (PR) de 12 a 21 de setembro para alunos-atletas de 12 a 14 anos, e em Brasília (DF), de 16 a 25 de novembro, para aqueles de 15 a 17 anos. Já as Paralimpíadas Escolares serão realizadas em São Paulo (SP), de 20 a 25 de novembro.

Jemg

O Jemg, o maior e mais importante programa esportivo-educacional do estado, é uma ferramenta pedagógica que valoriza a prática do desporto e a construção da cidadania de alunos-atletas entre 12 e 17 anos. Realizado pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Seesp, em parceria com a SEE, o evento teve, neste ano, número recorde de cidades inscritas: foram 830, ou 97% dos municípios mineiros.

LEIA MAIS

Comentários