Menino nigeriano de 8 anos vence campeonato de xadrez

Essa notícia é daquelas que fazem nosso dia mais feliz e colocam um sorriso nos lábios. Tanitoluwa Adewumi, de apenas 8 anos, é um refugiado nigeriano. Ele e sua família moram em um abrigo para sem-tetos em Nova York. O garoto, que já sofreu muito com bullying, acaba de se tornar o mais novo campeão estadual de xadrez de Nova York, na categoria jardim de infância até terceiro ano.

image

Conhecido pelos colegas como Tani, o pequeno aprendeu a jogar xadrez há cerca de um ano e já demonstrou um talento nato para o esporte. Mais do que o troféu, a vitória no campeonato fez com que a história de Tani rendesse um artigo no jornal “The New York Times”. Assim, seu treinador Russell Makofsky, decidiu usar a internet para criar uma campanha de financiamento coletivo para tentar comprar uma casa para a família Adewumi.

Deu certo! Em dois dias, ele dobrou a meta e arrecadou US$ 104 mil (cerca de R$ 395 mil) com a ajuda de quase 1,8 mil doadores. No texto de apresentação da campanha de financiamento coletivo, o treinador fez questão de ressaltar: “Tani é só coração! Vamos mostrar o nosso coração e ajudar a família de Tani a conseguir um lar onde ele pode continuar sua jornada”.

Segundo o “NY Times”, esse é a sétima vitória que Tani conquistou desde que começou a jogar xadrez. Ele aprendeu o jogo na escola pública em que estuda, que tem um professor de xadrez contratado em tempo parcial. Como pegou gosto pelo esporte, a mãe dele, Oluwatoyin, pediu uma vaga no clube de xadrez. O treinador Makofsky aceitou a inscrição de Tani sem cobrar a taxa e explicou que o nível do garoto, segundo o ranking de xadrez, disparou desde então.

Adewumi

A família conta que todas as noites ele treina no chão do quarto que eles ocupam no abrigo. O pai, que é motorista de aplicativo e tirou licença para atuar como corretor de imóveis, empresta o notebook para que o filho estude xadrez. E a mãe, que tirou uma certificação para trabalhar como cuidadora de pacientes em casa, fica responsável por levá-lo todo sábado aos treinos que duram três horas.

Agora, com a possibilidade de ter uma casa própria, a família faz campanha para conseguir uma permissão de residência permanente nos EUA. Ele foram o país, fugidos da Nigéria, por medo dos ataques do grupo extremista Boko Haram contra cristãos.

LEIA MAIS

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras