Justiça do Trabalho tenta bloquear arrecadação do jogo entre Valério e União Luziense

A vitória em casa sobre o União Luziense foi motivo de comemoração apenas no campo. Fora das quatro linhas, o Valério precisou lidar com problemas administrativos e quase teve a renda do jogo comprometida.

O jogo, realizado na última quarta-feira, 6 de agosto, contou com um público de 902 pessoas e uma renda de R$ 10.920,00. De olho nesses valores, a Justiça do Trabalho de Minas Gerais tentou bloquear a arrecadação.

O presidente do Valério, Luzardo Drumond, em entrevista a um veículo de comunicação de Itabira, confirmou as informações e destacou que a manobra não foi bem sucedida. Porém, o cartola não explicou os motivos que quase levaram ao bloqueio da receita.

O caso acabou ligando o alerta vermelho no clube itabirano, que evitará entrevistas que tratem sobre as arrecadações do clube nos jogos em casa pela terceira divisão do Campeonato Mineiro.

Mesmo com receio de que a Justiça do Trabalho de Minas Gerais tente bloquear novas receitas do clube, Luzardo Drumond já afirmou que a renda do confronto contra o Siderúrgica, que acontece no próximo domingo, 9 de agosto, será dividida entre as duas equipes.

Essa divisão de receitas acontecerá porque o Siderúrgica não teve o seu campo aprovado pela Federação Mineira de Futebol (FMF). Dessa forma, o time de Sabará optou por mandar os seus jogos no estádio Israel Pinheiro, em Itabira.

Comentários