Governo de Minas Gerais divulga balanço de suas ações para o esporte no estado

Desde 2015, o Governo de Minas Gerais criou a Secretaria de Estado de Esportes (Seesp) de forma independente, sem vinculá-la a outros temas, como Turismo ou Juventude, pastas às quais a temática esteve unida anteriormente.

Para o secretário de Estado de Esportes em exercício, Ricardo Sapi, a iniciativa de dar independência à secretaria foi fundamental. “Temos um órgão dedicado às políticas públicas do esporte em todas as suas dimensões – rendimento, participação e educacional –, com profissionais integralmente dedicados a esse assunto, o que leva à excelência do trabalho e ao fortalecimento do esporte mineiro”, afirmou.

Para 2017, o objetivo é dar continuidade ao trabalho desenvolvido nos últimos dois anos, ampliando a abordagem dos projetos e ações para atender ainda mais o paradesporto, aumentar a movimentação das equipes esportivas dos municípios nos programas da Secretaria, além de democratizar cada vez mais o acesso dos cidadãos à prática esportiva.

Palco de grandes eventos

Por meio da celebração de convênios e apoios institucionais, a Seesp viabilizou em 2015 e 2016 diversas competições e eventos esportivos no estado. Além de movimentar toda a cadeia esportiva, essas competições favorecem o crescimento da economia local e estimulam o interesse da população por diferentes modalidades, assim como o futebol americano que, no último ano, ganhou destaque em Minas Gerais.

O Campeonato Mineiro da modalidade retornou ao calendário esportivo após três anos de ausência e teve sua partida inaugural em 21 de março na Arena Independência. Na ocasião, o Minas Locomotiva (tricampeão mineiro) venceu o BH Eagles (campeão da Copa América) por 34 a 24.

Mas quem ganhou mesmo foram os 5.634 espectadores que compareceram ao estádio para acompanhar a disputa de uma das modalidades que mais crescem no Brasil.  Já a final da competição foi realiza no Mineirão, em junho, diante de 8.720 mil pessoas, quando nos segundos finais o Minas Locomotiva virou a partida contra o BH Eagles e sagrou-se campeão por 21 a 17.

Ainda em 2016, Minas Gerais foi casa da decisão da Liga Nacional. Em jogo disputado na Arena Independência, no início de dezembro, o BH Eagles bateu o mato-grossense Sinop Coyotes e faturou a taça.

Para o presidente da Federação Mineira de Futebol Americano, Abraão Coelho, o apoio da SEESP foi fundamental para impulsionar o crescimento do futebol americano em Minas Gerais nesse 2016. “Tivemos visibilidade sem igual. Esse suporte abriu portas em diversas frentes e foi especialmente importante diante de dois gigantes: Arena Independência e Mineirão. Nós nos sentimos abraçados pela Seesp e temos ali um grande parceiro para seguir na expansão da modalidade e transformar o estado em um grande celeiro de atletas para o Brasil”, afirmou.

Outra modalidade que vem crescendo no estado é o handebol. Em 2015, as cidades de Uberaba e Uberlândia sediaram o XX Mundial Júnior Masculino. A competição, que é uma das mais importantes no calendário internacional da modalidade, reuniu equipes de 24 países no Triângulo Mineiro. Realizada pela Federação Internacional e pela Confederação Brasileira de Handebol, a competição contou com apoio do Governo de Minas Gerais e do Ministério do Esporte, além das prefeituras dos municípios-sede. Na grande final, a França venceu a Dinamarca por 26 a 24 e levou o título.

Segundo dados da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (FUTEL), a realização do torneio movimentou cerca de R$ 2,5 milhões na economia do município. Movimento semelhante teve a cidade de Uberaba, que abrigou a abertura oficial e o jogo inaugural entre a Brasil e Japão.

Ao sediar o Mundial, Minas Gerais impulsionou o handebol no estado, o que já rendeu bons resultados: o ADJF, de Juiz de Fora, conquistou, em 2016, o Campeonato Brasileiro Adulto e a Copa do Brasil Masculina de Handebol. Foi a primeira vez que um time mineiro venceu no mesmo ano as duas principais competições nacionais da modalidade.

Segundo o presidente da Federação Mineira de Handebol, Cláudio Dias, os desportistas mineiros celebram o trabalho da Sees. “A Secretaria tem sido de fundamental importância e soubemos, desde o início, que teria sucesso. Em 2015, logo no início da gestão, a SEESP apoiou o sediamento, em Minas Gerais, do Mundial Sub-20. Foi a maior realização da história do handebol mineiro. Um sucesso absoluto de público e de organização. Minas aceitou o desafio e, realizou o mundial com apenas três meses de antecedência, de forma exemplar”, contou.

Além do Mundial de Handebol, o Triângulo Mineiro foi palco de três outros grandes momentos do esporte brasileiro. Em outubro de 2015, cerca de 5 mil pessoas participaram dos 63º Jogos Universitários Brasileiros (JUBs).

A Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU), realizadora da competição, aplicou R$ 5,5 milhões no JUBs e o evento movimentou cerca de R$ 11 milhões na cadeia produtiva local nos 12 dias de disputas. O segmento de hotelaria foi um dos mais favorecidos. Com aproximadamente 4,7 mil leitos em toda a rede hoteleira, cerca de 90% deste total foram ocupados nas semanas do evento.

Já a cidade de Uberaba foi palco da 10ª edição do Grand Prix de Futsal, em novembro de 2015. Na competição, realizada pela Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) e apoiada institucionalmente pela Seesp, a Seleção Brasileira conquistou o 9º título da competição. Além do Brasil, as equipes do Paraguai, Guatemala, Zâmbia, Colômbia, Irã, Uruguai e Angola também participaram da disputa.

No início de maio de 2016, devido à excelente campanha da seleção em Uberaba, a cidade foi escolhida para receber o lançamento do novo uniforme da equipe verde e amarela. Já entre os dias 5 e 8 de maio, Uberaba sediou o Desafio Sul-Americano de Futsal. A competição reuniu grandes confrontos continentais, com a participação de Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai. As partidas foram realizadas no Centro Olímpico Engenheiro Wagner do Nascimento.

Sucesso nos tatames e quadras

Outro esporte que vem se destacando no cenário esportivo mineiro é o judô. A modalidade já teve seis projetos executados por meio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, beneficiando quase 4 mil pessoas.

03

Além disso, no segundo semestre de 2015, com a presença de cerca de 2.800 alunos de escolas municipais de Belo Horizonte, o Brasil venceu a Alemanha por 4 a 2 no Superdesafio BRA de Judô, realizado na Arena Minas Tênis Clube.

O Minas Tênis Clube foi palco ainda de outro evento patrocinado pelo Governo de Minas Gerais e apoiado pela Secretaria de Estado de Esportes: a Copa Davis, em julho deste ano.  Pela segunda vez na história, Minas Gerais recebeu um confronto da competição que é considerada a Copa do Mundo do Tênis, dirigida pela Federação Internacional de Tênis (ITF).

No confronto contra o Equador, o Brasil levou a melhor e, após conquistar três pontos, saiu vitorioso em seu objetivo: classificar para o Playoff da Copa Davis, uma espécie de repescagem para o Grupo Mundial de 2017. As quadras mineiras receberam também nos últimos dois anos confrontos importantes do voleibol nacional.

Em abril de 2015, a Seesp cedeu o Ginásio Mineirinho para a partida decisiva da Superliga Masculina de Vôlei, o campeonato brasileiro da modalidade. Em maio do mesmo ano, quem passou pelo local foi a Seleção Brasileira. A equipe do técnico Bernardinho esteve em Belo Horizonte para a disputa da primeira rodada da fase classificatória da Liga Mundial de Vôlei.

Em outubro, foi a vez da cidade de Betim ser sede do Mundial de Clubes de Vôlei Masculino. A competição, que contou com o apoio institucional da Seesp, teve a participação de equipes dos seis continentes. Em 2016, a competição retornou para Minas Gerais e teve as presenças do Sada Cruzeiro e do Minas Tênis Clube.

Nesse ano, a modalidade proporcionou grande visibilidade para o estado. A Seleção da Polônia – campeã mundial em 2012 e última sede da fase final da Liga Mundial de Voleibol masculino – se preparou em Contagem para os Jogos Rio 2016, no Ginásio Poliesportivo do Riacho. No local, a equipe disputou um amistoso com o Sada Cruzeiro.

Assim como a Polônia, o Egito aproveitou a presença em Minas Gerais para realizar amistosos como parte da preparação para os Jogos Olímpicos.

Apoio ao esporte indígena e de surdos

Por meio de convênio, a Secretaria de Estado de Esportes viabilizou, em março de 2016, a realização da 1º Taça Minas de Futsal para Surdos. A competição, promovida pela Federação Mineira Desportiva dos Surdos (FMDS), contou com a participação de aproximadamente 260 atletas entre 16 e 35 anos, nas categorias masculino e feminino.

Já entre os dias 30 de junho e 3 de julho, a reserva indígena Maxakali Aldeia Verde, localizada no município de Ladainha, no Vale do Mucuri, recebeu a 4ª edição dos Jogos dos Povos Indígenas de Minas Gerais.

A competição, que já está prevista nas ações da Seesp para 2017, foi viabilizada por meio de parceria das Secretarias de Estado de Educação (SEE), de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) e de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) com a Prefeitura de Ladainha.

Participaram do evento cerca de 600 atletas de 11 etnias. As modalidades disputadas foram Derruba o Toco, Arco e Flecha, Cabo de Guerra, Zarabatana, Corrida do Maracá, Bodok, Arremesso de Lança e Futebol.

Sucesso olímpico

Criado em abril de 2015 pelo Governo de Minas Gerais, o Núcleo de Articulação Minas 2016 integrou forças de 16 secretarias e órgãos de Estado, coordenados pela Secretaria de Esportes. O objetivo foi planejar e executar as ações necessárias para os eventos relacionados aos Jogos Rio 2016 em solo mineiro, como o Tour da Tocha e o Torneio Olímpico de Futebol.

A Seesp colocou em prática um projeto pioneiro de atração de comitês e delegações olímpicas e paralímpicas para treino e aclimatação em Minas Gerais e a iniciativa obteve grande sucesso: passaram pelo estado representantes de 18 países que participaram das disputas das Olimpíadas e Paralimpíadas no Rio de Janeiro.

04

O coordenador do Núcleo de Articulação Minas 2016, Carlos Henrique, ressaltou as melhorias estruturais que estarão à disposição de jovens talentos do esporte mineiro. “O legado dos Jogos foi muito importante. Exemplo é a UFMG, que a partir de agora possui uma pista de atletismo e um parque aquático de alto nível, que já estão recrutando crianças e jovens para praticarem modalidades esportivas nas dependências da universidade”, destacou.

Minas Gerais foi a única unidade federativa a fazer esse trabalho de captação de delegações. E os resultados foram tão positivos que até a província de Yamanashi, vizinha da próxima sede das Olimpíadas – Tóquio (Japão) – buscou o governo de Minas Gerais para conhecer o projeto e se preparar para os Jogos 2020.

O estado recebeu ainda o Tour da Tocha Olímpica, que percorreu mais de 30 cidades, e o Mineirão foi sede de 10 partidas do Torneio Olímpico de Futebol.

Minas Esportiva chega para fortalecer o esporte

Com o fim do ciclo olímpico Rio 2016, o programa Minas Olímpica deixa de existir e dá lugar ao Minas Esportiva, que reúne as principais iniciativas da Seesp para o esporte de rendimento, formação e participação. E a iniciativa, nascida com a independência da pasta de esportes no governo, já colhe bons resultados.

Em 2016, os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG) alcançaram o número recorde de 829 municípios inscritos e quase 40 mil alunos-atletas participantes entre 12 e 17 anos. Os campeões estaduais do JEMG representaram o estado nos Jogos Escolares da Juventude e Paralimpíadas Escolares.

Já os Jogos de Minas Gerais promovem o esporte de rendimento, sobretudo nos municípios do interior, revelando atletas que possam representar o estado nas principais competições nacionais e internacionais. Em 2016, foram investidos R$ 1,4 milhão no evento que contou, em sua etapa estadual, com a participação de quase 50 cidades.

05

Com o objetivo de valorizar o trabalho em prol do esporte mineiro, a Seesp contemplou, em 2016, 89 atletas e 20 técnicos com a Bolsa Atleta e Bolsa Técnico, investindo R$ 1,13 milhão. Entre os beneficiários, atletas jovens, em início de carreira, e consagrados, com passagens por Olimpíadas e Paralimpíadas.

O Minas Esportiva Incentivo ao Esporte, regulamentado pela Lei 20.824/2013, com o objetivo de fortalecer o desporto e o paradesporto no estado por meio do esforço conjunto entre o Governo de Minas Gerais, apoiadores e executores, beneficiou, em 2016, mais de 30 mil pessoas e cerca de R$ 8,3 milhões foram destinados aos projetos aprovados pelo mecanismo.

O ICMS Esportivo, por sua vez, distribui o corresponde a 0,1% da cota do ICMS pertencente aos municípios. Por meio do instrumento, a cidade de Cataguases tirou os jovens da criminalidade e também criou oportunidades. O município foi um dos que mais pontuaram no mecanismo, o que lhe garantiu um repasse de R$ 137 mil em 2015, até o mês de outubro.

Em 2016, a cidade de Caratinga atingiu a maior pontuação. O município teve 101 programas/projetos aprovados no ICMS Esportivo ano base 2015, em 11 atividades esportivas, e deve receber em 2017 mais de R$ 200 mil em repasses, isto é, 2,73% do montante total estimado para o ano em questão (R$ 8.656.754,91).

Segundo o secretário Ricardo Sapi, o trabalho feito até o momento refletirá no crescimento de Minas Gerais no cenário esportivo nos próximos anos. “Estamos fomentando um processo de formação de novos atletas e fortalecimento de modalidades, além de propiciar aos municípios e entidades a execução de projetos sem que seja necessário retirar dinheiro de seus cofres. Minas será, muito em breve, uma potência do esporte. E se já temos tantos representantes que nos orgulham nos campos, quadras, piscinas e pistas atualmente, no futuro teremos muitos outros. Isso é o que motiva nosso trabalho”, finalizou.

*Com informações da Agência Minas.

LEIA MAIS

Comentários