Catas Altas recebe o campeonato de motocicletas Red Bull Minas Riders

Entre os dias 17 e 21 de maio, Minas Gerais vai ser palco de um evento esportivo internacional. Na ocasião, acontece o Red Bull Minas Riders, que é um campeonato de motocicletas da modalidade “Hard Enduro”. Na competição, os pilotos percorrerão trajetos entre 70 e 200 quilômetros de distância entre cidades como Catas Altas, Ouro Preto, Barão de Cocais e Belo Horizonte, durante aproximadamente seis horas.

Qualquer piloto pode competir, desde que tenha uma moto off-road. Os trajetos são divididos por categoria de acordo com o nível de experiência dos competidores. São quatro classes: Gold (para os melhores do mundo), Silver, Bronze e Iron (para os entusiastas).

O trajeto da prova é marcado com fita e sinalizado, mas o percurso é também disponibilizado no GPS. Assim como acontece no rally, o tempo conta do início ao final. Comparado com uma prova de rally, o percurso é muito mais técnico e as motos têm menos peso e velocidade mais baixa.

Meio ambiente

Por ser realizado em trilhas, vários questionamentos foram feitos à Prefeitura de Catas Altas por conta do possível impacto ambiental que o evento poderá gerar no município. Dessa forma, administração municipal entrou em contato com os organizadores para saber mais informações e tranquilizar a população e ambientalistas.

Conforme nota publicada pela Prefeitura de Catas Altas, “o Red Bull Minas Riders é um evento privado, realizado pela empresa Moto Clube Fast Brothers em conjunto com órgãos esportivos, como a Federação de Motociclismo do Estado de Minas Gerais (FMEMG) e a Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM). A Prefeitura apenas liberou o alvará para a sua realização”.

Ainda de acordo com a nota, “os organizadores do Red Bull Minas Riders, em ofício, afirmam tratar de um evento atípico, pois a referida competição segue trajeto em linha. Durante o percurso entre Catas Altas e Barão de Cocais, os pilotos não estarão em competição, apenas se deslocando. Desta forma, ‘a velocidade dos pilotos será monitorada para ter certeza que estão seguindo as regras do evento de limite de velocidade’. Isso, segundo os organizadores, não irá prejudicar as condições das trilhas utilizadas”.

A empresa, ainda, explicou que “o licenciamento ambiental da competição está sendo feito através do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e pela Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram)”.

LEIA MAIS

Comentários