Mulheres de exatas: cresce participação de meninas em competições de robótica

Quando se fala em tecnologia, inovação, matemática e engenharia, a maior parte das pessoas relaciona a espaços ocupados, predominantemente, por homens. E durante muito tempo foi mesmo! Mas isso mudou! Atualmente, a presença de mulheres e garotas se dedicando a estas áreas é uma realidade que cresce a olhos vistos e está proporcionando cada vez mais uma competição mais justa entre os gêneros.

Um exemplo disso foi a etapa regional do Torneio Sesi de Robótica, que aconteceu em Contagem, no mês de fevereiro. Cerca de 40% dos participantes que disputaram a competição mineira eram meninas. Já no Festival Sesi de Robótica, disputa nacional da área que começa nessa sexta-feira, 6 de março, e se estende até o dia 8 de março, esse índice chega a 46%.

A professora da Escola Sesi Alvimar Carneiro de Rezende, Simone Salgado, é técnica de duas equipes que participaram da etapa regional de robótica: a Harry Blocks e a SuperAção, esta classificada para a competição nacional. Segundo ela, o interesse das meninas pela robótica é evidente e muito construtivo. “Estar a frente de um projeto de uma área de atuação tradicionalmente masculina, me dá muito orgulho. Vejo o interesse cada vez maior das meninas em participar das iniciativas que envolvem a robótica. Com essa aproximação vemos equipes com uma troca colaborativa e a participação feminina tem papel relevante nesse processo. Temos que incentivá-las”, explicou.

Com 14 anos, a estudante Laura Lage Horta é uma das três meninas que compõe a equipe SuperAção, que esta no festival nacional apresentando um projeto que promete preservar vidas em casos de enchentes. O sistema de alerta, batizado de Metron, funciona a partir de sensores instalados nas galerias de águas pluviais e foi premiado com o primeiro lugar na categoria Apresentação do Projeto Inovação e o terceiro no Desafio do Robô na seletiva regional.

“Ser uma menina na robótica é muito satisfatório, porque unimos o nosso conhecimento com o dos meninos. É importante juntar as características dos dois lados para fazer sempre o melhor”, conta Laura que ainda deixa um recado para as garotas que têm receio em entrar nessa área. “Garotas, entrem na robótica. Não é só no conhecimento, ela nos ajuda a fazer amizades e a crescer para vida, pois nos prepara para o mercado de trabalho. Estamos conquistando nosso espaço”, chama a estudante.

LEIA MAIS

Comentários