Violet Soda lança o EP “Tangerine”

Banda paulistana de garage rock apresenta quatro novas faixas com vídeos no formato Motion Audio

A banda paulistana de garage rock Violet Soda, formada por Karen Dió (vocal e guitarra), Murilo Benites (guitarra), André Dea (bateria) e Tuti AC (baixo), lançou em novembro o EP “Tangerine”.

Esse é o segundo trabalho do grupo em menos de seis meses de existência, novamente com produção de Alexandre “Capilé” Zampieri e gravado no Estúdio Costella, em São Paulo. A sonoridade segue as características do elogiado EP de estreia, “Here We Go Again”, com influências grunge, punk e do rock de garagem dos anos 90/00.

Todas as faixas do novo trabalho vieram acompanhadas de vídeos no formato Motion Audio e lançadas no YouTube. “São clipes não-oficiais que nós mesmos produzimos, para apresentarmos as músicas com um recurso visual, sem ser daquela maneira estática que as pessoas estão acostumadas. Todos os vídeos foram gravados no Family Mob e têm alguma relação com as letras das canções”, explica Karen Dió.

Mesmo recente, a banda conta com outros três clipes lançados e apresentações em diferentes estados na bagagem. “Com o primeiro EP a gente conseguiu rodar bastante, o que também nos ajudou a entender melhor a dinâmica e a cara da banda”, conta Karen. “Acredito que as novas composições são mais maduras e foram feitas de maneira mais coletiva e consciente. Estamos bem entrosados”, completa.

O show de lançamento também marcará a estreia de Tuti AC como membro da banda. “Além de naturalmente ser uma ocasião especial, por se tratar de uma festa de lançamento, o show do dia 14 também vai oficializar a estreia do Tuti nos palcos com a gente”, conta Karen.

Sobre o EP “Tangerine”

O nome do EP é o mesmo da segunda faixa do trabalho. São quatro músicas que passeiam pelas diferentes sonoridades exploradas pela banda: mistura do grunge e do pop dos anos 90 com o rock de garagem dos anos 2000, mas em busca de uma identidade própria. As letras vão de temas como transtornos psicológicos a divagações sobre o cotidiano e relacionamentos.

CAPA-TANGERINE

Faixa a faixa

1 – Candyman

Foi baseada em uma música antiga que a Karen tinha escrito. A gente gostava do refrão, mas os versos ainda estavam meio incertos então a deixamos de lado. Tempo depois o Murilo criou uma base e terminamos a música. A letra fala sobre quando você se arrisca em uma situação muito prazerosa e ao mesmo tempo muito arriscada

2 – Tangerine

Faixa que dá nome ao EP. O Murilo mandou uma base pra Karen pelo WhatsApp e a melodia veio instantaneamente. Na mesma época a Karen tinha escrito um pequeno trecho de uma letra sobre Tangerina, uma fruta que ela não gosta e o Murilo ama, o que acabou virando uma piada interna. Quando chegou a hora de escrever o resto da letra a fruta personificou-se em uma pessoa.

3 – Black Lungs

Foi escrita após duas crises de bronquite da vocalista Karen. Participação especial de João Lemos (Molho Negro) e Capilé nas guitarras.

4 – Self-Esteem

Essa é daquelas que a gente entrou no estúdio sem saber exatamente como iria soar. Só tínhamos o riff inicial e mais algumas partes melódicas, mas ela foi ganhando corpo durante o processo de gravação. A letra fala sobre o consumismo e a influência das redes sociais no cotidiano das pessoas e como isso pode ser negativo e trazer problemas como depressão, ansiedade e baixa autoestima. Participação especial de João Lemos (Molho Negro) nas guitarras.

Ficha técnica:

Gravado, produzido, mixado e masterizado por Alexandre “Capilé” Zampieri, no Estúdio Costella, em agosto e setembro de 2018.

Ouça “Tangerine” (link não-listado): http://soundcloud.com/karendioxx/sets/violet-soda-tangerine-full-ep

Assista aos Motion Audios das músicas:

LEIA MAIS

Comentários