Violência contra a mulher é tema de bate-papo na Associação Comercial de Itabira

O bate-papo sobre violência doméstica movimentou a manhã de quinta-feira, 28 de novembro, na Associação Comercial, Industrial, de Serviço e Agropecuária de Itabira (Acita), em Itabira, Minas Gerais. O evento é parte do movimento “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”, uma campanha mundial que acontece de 25 de novembro, Dia Internacional de Não Violência Contra a Mulher, a 10 de dezembro — Dia Mundial dos Direitos Humanos.

O painel contou com a presença da delegada especializada em atendimento às mulheres, Amanda Machado; da juíza Cibele Mourão; do representante do Grupo Reflexivo de Homens, Gleidson; da advogada e representante da Acita Mulher, Rosilene Félix; e da empresária e representante da Acita Mulher, Maria Lúcia Cunha.

O encontro foi um momento de troca de experiências com orientações de como se comportar em casos de violência e de como a mulher precisa elevar a autoestima, além de contar com depoimentos emocionantes de pessoas que superaram e conseguiram vencer a situação de violência doméstica.

“Muitas vezes a mulher não consegue reagir, porque crescemos em um mundo machista, não aprendemos que somos iguais em direitos e obrigações”, alertou a juíza Cibele Mourão, fazendo referência a situação em que várias mulheres vivem de aceitar os maus tratos dentro de casa.

Para a delegada Amanda Machado, a situação financeira também acaba impedindo que as mulheres tomem uma atitude de se desfazer de um relacionamento abusivo.

A roda de conversa serviu para alertar que a violência não é só física, ela pode ser psicológica também. Uma oportunidade de dar voz às mulheres, vítimas de abusos e provocar reflexão.

O bate-papo é uma parceria de diversas entidades como: Delegacia da Mulher, Poder Judiciário, Prefeitura Municipal de Itabira — por meio da Comissão de Enfrentamento à Violência e o Conselho da Mulher —, Câmara Municipal de Itabira e Acita, por meio da Acita Mulher.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da Acita.

LEIA MAIS

Comentários