Tradição e arrojo marcam primeiro projeto solo de Tiago Randazzo

Cantor e compositor atuante na cena do forró, Randazzo lança seu primeiro projeto solo. O trabalho harmoniza o forró de raiz com influências que vão do jazz ao Clube da Esquina.

Após treze anos de estrada tocando e cantando em bandas de forró pé de serra e universitário, Tiago Randazzo busca em seu primeiro projeto solo sonoridade que prestigie as raízes, mas que se deixe influenciar por novas linguagens. Nessa nova fase, o músico concilia o cancioneiro nordestino com uma miscelânea de influências harmônicas que vão do lendário Clube da Esquina a improvisos do jazz, em músicas próprias e releituras da MPB. O objetivo, conta ele, “é conversar com outros públicos a partir dos novos arranjos e de minhas composições, agora com linguagem mais urbana, mas sem perder a intimidade com o ritmo brasileiro”.

No novo trabalho, a ser lançado nos formatos show e disco, Tiago entrega para o público o resultado de uma intensa pesquisa, que resultou em músicas com arranjos cuidadosamente trabalhados. No show, a banda apresenta, além das composições autorais, releituras dos mestres Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Lenine, Zé Ramalho, Clube da Esquina e de nomes da nova MPB, como 5 a Seco e Anavitória. Na sessão autoral, o público irá conhecer os novos singles criados para o projeto, todos com uma roupagem musical que mistura novidade e tradição. Randazzo ainda apresenta músicas do disco “Aluado”, da banda Forró de Lua, projeto que liderou nos últimos dez anos.

A produção musical e os arranjos do show e do disco têm a assinatura de Dan Oliveira, músico da nova safra mineira e guitarrista da banda de Lô Borges: “Eu e Tiago optamos por experimentar caminhos ainda pouco explorados pelo forró. Além da aposta na inserção de elementos musicais pouco convencionais para o gênero, como o jazz, o funk americano, a música eletrônica e o rock, aproveitamos a mineiridade de Tiago pra trazer pros arranjos a harmonia do violão mineiro do Clube da Esquina”.

Randazzo divide o palco com um seleto time de músicos: Dil Brasil na zabumba, Kiko Ribeiro no acordeon, Patrick Blancos na guitarra e violão, Matheus Dias no contrabaixo e Samuel Braga na percussão. Tiago, além do vocal, se reveza entre violão e percussão. Os nove singles autorais serão lançados ao longo de 2018 e consolidados em disco em dezembro deste ano.

02

Forró de cabo a rabo

Randazzo iniciou sua carreira musical em 2006, quando assumiu os vocais e o violão da banda de forró universitário Forró de Lua, realizando importantes apresentações durante dez anos, dividindo o palco com grandes nomes como a banda Falamansa, o Trio Xamego – com quem gravou a música “Um baião de lembranças” –, Paulinho Motta e banda Alcalyno, Aureliah Milagres, Menina do Céu e Trio Virgulino. Em 2008, a banda ganhou o Prêmio Mineiro da Música Independente (PMMI) na categoria “Forró”.

Em 2009, Tiago cria o Trio Ladainha como um projeto paralelo, com a proposta de se aprofundar nas raízes do forró pé de serra. No Trio, Randazzo abriu mão de seu violão, das baterias e do contrabaixo em nome da pesquisa regional e passou a se apresentar com a clássica formação sugerida por Luiz Gonzaga: triângulo, sanfona e zabumba. Suas composições para o Trio trouxeram uma poética de raiz, cantando a dança, a seca e o amor pelo forró. Na trajetória do grupo, destaca-se a participação no Festival Nacional de Forró de Itaúnas (ES), considerada a capital do gênero pé de serra no Sudeste. A partir daí, o Trio Ladainha passou a circular por todo o circuito pé de serra, com diversas apresentações em Brasília, Itaúnas e Caraíva, e grava, em 2011, o disco “Ladainha da Orelha ao Pé”, com produção musical de Mestrinho do Acordeon.

Em 2015, Tiago fez toda a produção executiva do disco “Aluado”, da banda Forró de Lua, com produção musical de Túlio Araújo e arranjos de Dan Oliveira. O disco, que encontra-se disponível no Spotify, conta com três composições de Randazzo, entre elas “Amor em Caraíva”, em que dividiu o vocal com a cantora paulista Aureliah Milagres. A faixa passou a ser muito executada nas casas de forró de todo o Sudeste, sempre carinhosamente pedida pelo público.

Primeiro disco autoral

O projeto solo de Tiago Randazzo compartilha com o público nove singles que estão sendo compostos e gravados ao longo deste ano, dentre eles “Refúgio”, “Eu Vi” e “Mal me Quer”. O disco com as faixas inéditas será lançado no Spotify em dezembro. As canções, todas escritas por Randazzo, tratam de temas que vão desde a busca pela paz interior, até a poesia do cotidiano e do amor. Em “Eu Vi”, conta ele, “proponho uma reflexão sobre como as coisas cotidianas podem ser encaradas de diferentes formas, e em todas elas sempre há o lado positivo”.

Conheça um pouco do trabalho de Tiago Randazzo: 

LEIA MAIS

Comentários