Tecitura: poesia entrelinhas

No arejado jardim interno da Casa de Drummond, nas tardes de terças-feiras, é possível ouvir o burburinho animado de bordadeiras que trabalham e conversam tecendo poesias, histórias e experiências de vida. São as integrantes do grupo Tecitura que, desde março de 2014, se reúnem semanalmente para bordar os poemas de Drummond e outros autores brasileiros.

A literatura é o viés principal do grupo que reúne, hoje, oito integrantes inspiradas pela poética drummondiana, impregnada em cada cômodo e espaço da casa que as abriga. No Tecitura, as bordadeiras vêm resgatando referências da cultura popular, imprimindo identidade ao trabalho manual, valorizando o ofício milenar do bordado e contribuindo para a difusão da literatura brasileira.

Entre os trabalhos já produzidos pelo grupo está um livro de páginas soltas, com delicada interpretação do poema “Casa” e capas de almofadas estampadas por “Cidadezinha Qualquer”. Como homenagem a Ariano Suassuna, com seus versos e orações carregados de influências nordestinas e de cultura popular, surgiram belos estandartes.

Na próxima segunda-feira, 5 de outubro, às 19h30, na Casa de Drummond, na exposição “Tecitura: poesia entrelinhas” será possível conhecer um pouco mais do trabalho dessas mulheres que, numa sutil fusão de versos e imagens, transformam delicadamente tecidos e linhas coloridas em poesia.

SERVIÇO
Tecitura: Poesia Entrelinhas
Local: Casa de Drummond (Praça do Centenário, 137, Centro, 3835-3894)
Data: 5 a 18 de outubro
Horário: Terça-feira a sexta-feira, de 8h às 18h; sábado e domingo, de 10h30 às 16h30
Ingressos: Gratuito

Comentários