Surpresas, discursos impactantes e clichês marcam a entrega do Globo de Ouro 2020

A noite de domingo, 5 de janeiro, marcou a abertura da temporada de premiações 2020. O Globo de Ouro anunciou os vencedores de sua 77ª edição, em Los Angeles, em uma cerimônia organizada pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA, na sigla original).

De cara, “Era uma Vez em… Hollywood”, filme que, em teoria, celebra uma pausa na carreira de Quentin Tarantino como diretor, recebeu três estatuetas, incluindo melhor filme – comédia ou musical. Mas ele dividiu as atenções com os também ganhadores: “1917” que venceu as categorias de diretor e filme de drama; “Coringa” que levou trilha e ator  de drama para Joaquin Phoenix; e “Rocketman” que não deixou passar música e ator de comédia para Taron Egerton. Entre as séries, “Sucession”, “Fleabag” e “Chernobyl” ficaram com dois prêmios cada.

Decepções também permearam essa noite. Entre elas, o fato de, apesar das 5 indicações, “O irlandês” não ter recebido nenhum prêmio e “História de um casamento”, com 6 indicações receber apenas o Globo de Ouro de atriz coadjuvante para Laura Dern.

Das boas surpresas da noite, destaque para as homenagens, justas, feitas às carreiras de Ellen DeGeneres (com muitas piadas sobre o tempo que teria para falar) e Tom Hanks (emocionado ao ver sua família perto do palco). Além disso, pela primeira vez após 52 anos de parceria, a dupla Elton John e Bernie Taupin ganhou um prêmio. Eles levaram por melhor música para filmes com “(I’m Gonna) Love Me Again”, de “Rocketman”, filme sobre a história do artista inglês.

Como em todo ano, os discursos icônicos não faltaram. Melhor atriz de série de comédia, Phoebe Waller-Bridge agradeceu a equipe que “fez a série parecer um filme mesmo com um orçamento bem pequeno”. E agradeceu ao Obama “por nos botar na lista dele [de séries favoritas]. Se vocês não sabem, ele sempre foi meu ‘tipo’. E se não entendeu essa piada, veja a primeira temporada”, brincou Phoebe, quando voltou para receber o prêmio de série de comédia.

Sam Mendes (“1917”), visivelmente surpreso ao ser premiado na categoria de melhor diretor de filmes, não deixou de demonstrar sua admiração por um de seus concorrentes e rasgou o verbo dizendo que “todo diretor no mundo vive à sombra de Martin Scorsese”.

O bom humor foi uma tônica geral Brad Pitt ganhou como coadjuvante em filmes e terminou o discurso com uma piada: “Eu ia trazer minha mãe, mas toda mulher que aparece do meu lado falam que estou namorando, então não trouxe. Seria estranho.” Diretor do melhor filme estrangeiro, o coreano Bong Joon-ho foi incisivo: “Assim que você romper a barreira da legenda, você será apresentado a muitos mais filmes incríveis”.

Mas, o discurso mais impactante da noite foi o de Michelle Williams, melhor atriz em série limitada ou filme para TV, por “Fosse/Verdon”. Ela falou sobre a importância de as mulheres poderem escolher: “Mulheres, na hora de votar, votem com os seus interesses. É o que homens têm feito há anos e por isso o mundo se parece tanto com eles.”

Como toda premiação do mundo da televisão e do cinema, não poderia deixar de ter ao menos uma polêmica. Em sua quinta vez no comando do Globo de Ouro, o comediante inglês Ricky Gervais pesou a mão em seu monólogo de abertura. Ao falar da vida pessoal e de características físicas de artistas presentes e que não estavam na cerimônia, ele recebeu críticas na internet por ser ofensivo. Gervais fez piadas com temas como o Estado Islâmico e o ativismo de artistas.

Veja lista completa de vencedores:

Melhor filme – Drama
“1917”

Melhor Filme – Musical ou Comédia
“Era uma Vez em… Hollywood”

Melhor atriz de filme – Drama
Renée Zellweger  (“Judy – Muito Além do Arco-Íris”)

Melhor ator de filme – Drama
Joaquin Phoenix (“Coringa”)

Melhor ator em filme – Musical ou Comédia
Taron Egerton (“Rocketman”)

Melhor atriz em filme – Musical ou Comédia
Awkwafina (“The Farewell”)

Melhor ator coadjuvante em filmes
Brad Pitt (“Era uma Vez em… Hollywood”)

Melhor diretor de filmes
Sam Mendes (“1917”)

Melhor música para filmes
“(I’m Gonna) Love Me Again” (“Rocketman”)

Melhor atriz coadjuvante em filmes
Laura Dern (“História de um casamento”)

Melhor animação
“Link perdido”

Melhor roteiro para filme
Quentin Tarantino (“Era uma Vez em… Hollywood”)

Melhor atriz em série de TV – Musical ou Comédia
Phoebe Waller-Bridge (“Fleabag”)

Melhor ator em série de TV – Musical ou Comédia
Ramy Youssef (“Ramy”)

Melhor ator em série limitada ou filme para TV
Russell Crowe (“The Loudest Voice”)

Melhor ator coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV
Stellan Skarsgård (“Chernobyl”)

Melhor série – Drama
“Succession”

Melhor série – Musical ou Comédia
“Fleabag”

Melhor filme em língua estrangeira
“Parasita”

Melhor trilha sonora original para filmes
Hildur Guðnadóttir (“Coringa”)

Melhor série limitada ou filme para TV
“Chernobyl”

Melhor atriz em série limitada ou filme para TV
Michelle Williams (“Fosse/Verdon”)

Melhor atriz coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV
Patricia Arquette (“The Act”)

Melhor atriz em série de TV – Drama
Olivia Colman (“The Crown”)

Melhor ator em série de TV – Drama
Brian Cox (“Succession”)

 

LEIA MAIS

Comentários