Série “Ideias” do #EMCASACOMSESC traz debates sobre educação indígena, game design, a importância social das mulheres em comunidades tradicionais e o serviço assistencial no enfrentamento à Covid-19

Entre os dias 4 e 8 de agosto, participam dos debates as nutricionistas Regicely Aline Brandão e Rachel Francischi, os professores Antony Karai Poty, de Língua Guarani na USP, e a indígena Cristine Takuá, as especialistas em game Tainá Felix e Beatriz Blanco, a quilombola Josilana Santos, a cantora e jongueira Lazir Sinva, a caiçara Tatiana Cardoso, e as assistentes sociais Fernanda Almeida, da FAPSS-SP, Luciana da Conceição e Silva, com ampla experiência no SUS, e Mariana Aguiar Bezerra, especialista em Cuidados Paliativos. A série Ideias, transmitida ao vivo sempre às 16h pelo YouTube da instituição, convida pensadores e articuladores sociais de diversas áreas para a troca de experiências e reflexões sobre assuntos da atualidade

Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tensionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira, 4 de agosto, a série traz o debate Alimentação nos primeiros dois anos de vida. Da amamentação à introdução alimentar complementar, a alimentação é parte fundamental e influencia as funções do nosso corpo para o resto da vida. No meio a tantas informações, tarefas e expectativas, como iniciar e manter a amamentação? Quando, como e que tipos de outros alimentos oferecer ao bebê? Para falar deste assunto, participam as nutricionistas Regicely Aline Brandão, bacharel em Gestão de Políticas Públicas e Mestre em Nutrição e Saúde Pública e Rachel Francischi, formada pela USP, mestre em Bioquímica pela Unicamp e atuante em espaços de atendimento humanizado em saúde materno-infantil. A atividade faz parte do projeto em rede “Do Peito ao Prato”. Na mediação e apresentação, Mariana Ruocco, nutricionista da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar do Sesc São Paulo.

Quarta-feira, 5, o tema é Educação indígena: Um debate na construção da identidade indígena e os direitos diferenciados. Em 1997, o governo do Estado de São Paulo instituiu a política estadual de educação escolar indígena. O objetivo? Criar uma educação escolar específica, intercultural, diferenciada e bilíngue nas comunidades que vivem em terras indígenas. Em âmbito nacional, essa política pública surgiu em decorrência dos direitos conquistados pelos povos indígenas na Constituição de 1988. Desenvolver o conhecimento de sua própria cultura e da cultura da sociedade envolvente, possibilitando aos jovens indígenas ferramentas de interação e negociação com os poderes públicos e com a sociedade em geral, para melhor defender os seus direitos. Passados 23 anos, quais foram os resultados obtidos? Participam Antony Karai Poty, professor da Língua Guarani na Escola de Psicologia da USP e Guardião da Floresta da Terra Indígena do Jaraguá, e Cristine Takuá, professora indígena, formada em filosofia na Unesp e docente da Escola Estadual Indígena Xeru Ba’e Kua-I, na divisa entre os municípios Bertioga e São Sebastião. A mediação e apresentação será de Mario Barroso, gestor cultural, músico, jornalista e coordenador de programação do Sesc Sorocaba.

No dia 6, quinta-feira, a série Ideias #EmCasaComSesc debate Um Jogar Subversivo: Game design como prática crítica. A produtora de games e arte-educadora Tainá Felix e a professora universitária e pesquisadora Beatriz Blanco, discutem os games como uma forma de desenvolvimento do pensamento crítico sobre o mundo. O quanto podem contribuir para a empatia e a sensibilidade para temas sociais relevantes. Para isso, todos os envolvidos precisam se posicionar e atuar de forma a construir ambientes que vão além da fruição tradicional dos jogos eletrônicos e estar engajados na união do universo dos games às causas sociais, com foco na luta antirracista, na inclusão e representatividade e no combate às novas formas dos movimentos antidemocráticos. A mediação será de Anita Cavaleiro, Educadora de Tecnologias e Artes no Sesc 24 de Maio, e a apresentação ficará com Sabrina da Paixão, historiadora, mestre e doutoranda em Educação e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo.

Na sexta-feira, 7 de agosto, acontece o debate sobre Mulheres e Comunidades Tradicionais: territórios e resistência. Um bate-papo sobre a importância social das mulheres em comunidades tradicionais, seus caminhos de resistência e afetos construídos, e os desafios que enfrentam. Participam a quilombola, pedagoga e ativista do movimento negro quilombola e Étnico Territorial, Josilana Santos, a cantora, compositora e jongueira Lazir Sinva, e a caiçara e educadora popular graduada em Ciências Sociais, Tatiana Cardoso. Na mediação e apresentação, Bárbara Esmenia, poeta e integrante do Núcleo Socioeducativo do Sesc 24 de Maio.

Fechando a programação da semana, no sábado, 8, a série debate O Serviço Social no enfrentamento à COVID-19. A pandemia apresenta o aprofundamento de uma crise inédita e grave em todo o mundo, impactando as várias dimensões da vida social. Neste contexto, o/a Assistente Social tem importante atuação na humanização no âmbito da proteção e efetivação de direitos, em especial ao acesso à informação e aos benefícios correspondentes. Participam as assistentes sociais Fernanda Almeida, coordenadora do curso de Pós-Graduação em Serviço Social e Saúde da FAPSS-SP, Luciana da Conceição e Silva, doutoranda e mestre em Serviço Social na PUC-Rio e com ampla experiência no SUS, e Mariana Aguiar Bezerra, especialista em Cuidados Paliativos pela USP, mestranda em Serviço Social pela PUC-SP e atuante em hospital público em São Paulo. A mediação será de Ilda Lopes Rodrigues da Silva, presidente do Centro Brasileiro de Cooperação e Intercâmbio de Serviços Sociais e a apresentação ficará a cargo de Sandra Carla Sarde Mirabelli, assistente técnica da Gerência de Estudos e Programas Sociais do Sesc SP e Doutoranda em Serviço Social pela PUC São Paulo.

LEIA MAIS

Comentários