Série “Cinema” do projeto #EMCASACOMSESC estreia mais cinco filmes nesta semana

A partir de quinta-feira, 23 de julho, o Sesc Digital disponibiliza ficção da diretora turco-francesa Deniz Gamze Ergüven, além do longa “Entrelaços”, da japonesa Naoko Ogigami, os documentários “Partido Alto”, sobre as variações deste tipo de samba pelo país, e “Encantado – O Brasil em Desencanto”, um testemunho político e poético do Brasil, e a ficção nacional infantil “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu

Lançada há mais de um mês e com mais de 100 mil visualizações, a programação de filmes em streaming do Sesc São Paulo, na plataforma Sesc Digital, oferece mais quatro novos títulos a partir desta quinta-feira, 23 de julho. Basta acessar o Cinema Em Casa para conferir longas e documentários, sempre a partir de quinta-feira, com acesso gratuito a qualquer hora do dia para ver e rever quando e onde quiser, e sem necessidade de cadastro.

Nesta semana, o #EmCasaComSesc exibe o longa “Cinco Graças”, da diretora turca Deniz Gamze Ergüven, que se passa em seu país de origem. O filme conta a história de Lale e suas quatro irmãs, que vivem um escândalo de consequências muito fortes: a casa delas se torna praticamente uma prisão, elas aprendem a limpar ao invés de ir para a escola e seus casamentos começam a ser arranjados. As cinco não deixam de desejar a liberdade, e tentam resistir aos limites que lhes são impostos.

Outra estreia da semana é “Entrelaços”, drama da japonesa Naoko Ogigami, que trata de temas como transgeneridade, homossexualidade e abandono. Depois de ser deixada por sua mãe, Tomo, uma pequena garotinha de 11 anos, é acolhida por seu tio, Makio, e pela sua namorada Rinko, pessoa transgênera. Ao longo dos dias, Rinko demonstra carinho e afeto por Tomo, que acaba descobrindo o verdadeiro sentido de uma família.

A partir desta quinta, 23, o público também poderá conferir o documentário brasileiro “Partido Alto”, de Leon Hirszman, que mostra as variações do samba partido alto, uma forma livre de expressão e comunicação imediata, com versos simples e improvisados, de acordo com a inspiração de cada local. Uma forma de comunhão, que reúne sambistas em qualquer lugar e hora pelo simples prazer de se divertir.

O documentário “Encantado – Brasil em Desencanto”, de Felipe Galvon, retrata a história recente brasileira a partir de um bairro homônimo do subúrbio carioca transfigurado pelas Olimpíadas de 2016. Do Rio à Paris, um testemunho político e poético do Brasil pelo olhar da primeira geração de classe popular a estudar no exterior. O documentário ganhou o prêmio de Melhor Filme – Júri Popular no 7º Festival Internacional de Cinema da Brasília.

E fechando a lista de estreias da semana, a produção brasileira “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, que traz história de um menino faz as malas, pega o trem e vai descobrir o novo mundo em que seu pai mora. Para a sua surpresa, a criança encontra uma sociedade marcada pela pobreza, exploração de trabalhadores e falta de perspectivas.

A programação do Cinema #EmCasaComSesc contempla quatro eixos principais neste primeiro momento. Uma curadoria de clássicos do cinema, em sua maioria cópias restauradas e exclusivas na plataforma; uma seleção contemporânea internacional, com filmes que tiveram uma trajetória relevante em festivais no mundo todo e que merecem uma nova oportunidade de exibição ao público; uma janela dedicada ao cinema nacional, com produções de grande alcance de público e filmes independentes que merecem maior espaço de exibição – haverá também destaque aos documentários, ponto forte na produção cinematográfica brasileira; e por fim, uma seleção de filmes infanto-juvenis, visando a formação de público, desde os primeiros anos de vida, para a diversidade do cinema e ampliação do lastro de narrativas.

A iniciativa de oferecer filmes em streaming em sua nova plataforma digital reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente on-line, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas on-line e gratuitamente.

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira (considerando a semana de cinema de quinta à quarta-feira). Haverá ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado desde o mês de março, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

+ Filmes em Cartaz

Quem navega pela plataforma Sesc Digital encontra outras que permanecem disponíveis para acesso gratuito e irrestrito do público. Em Cinema Em Casa , há o clássico “De Crápula a Herói”, de Roberto Rossellini, o alemão “Manifesto”, do cineasta e multiartista Julian Rosefeldt, o terror surrealista “A Hora do Lobo”, do sueco Ingmar Bergman, e a cópia restaurada de “Mamma Roma”, de Pier Paolo Pasolini.

Também permanecem no serviço de streaming do Sesc São Paulo, o belo “A Carruagem de Ouro”, do francês Jean Renoir, “Os Palhaços”, de Federico Fellini, “Academia das Musas”, de José Luis Guerín, “Violência e Paixão”, de Luchino Visconti e Paterson, de Jim Jarmusch.

A produção do cinema nacional tem um espaço de destaque no Sesc Digital, com 12 títulos, entre filmes, documentários a animações. A lista conta com “Vou Rifar Meu Coração”, documentário de Ana Rieper, “Todos os Paulos do Mundo”, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, “Garoto Cósmico”, de Ale Abreu e “Ela Volta na Quinta”, de André Novais Oliveira. Completam a lista os infantis “Corda Bamba – História de Uma Menina Equilibrista”, de Eduardo Goldenstein, a animação “Molly, a Monstrinha”, de Matthias Bruhn, Michael Ekbladh e Ted Sieger, “Corpo Elétrico”, do diretor Marcelo Caetano

Ainda estão em cartaz “Francofonia – Louvre sob Ocupação”, de Alexander Sokurov, o documentário franco-alemão “Visages Villages”, da cineasta belga Agnès Varda e do fotógrafo e artista urbano francês JR, pseudônimo de Jean Réné, e “A Sociedade Secreta de Souptown”, do diretor Margus Paju.

CINESESC

Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o Cinesesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional em São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros. O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.

Cena Inquieta: a nova série documental do SescTV que investiga as formações, conceitos e trajetórias de grupos e artistas do teatro brasileiro

Além das lives no YouTube, o SescTV lança em 23 de julho uma série de documentários dedicados ao teatro: Cena Inquieta, com curadoria de Silvana Garcia e direção de Toni Venturi. A série é uma abrangente cartografia sobre a nova geração do teatro de grupo produzido no Brasil. Composta por 26 documentários de 55 minutos cada, o trabalho mapeou os mais importantes coletivos teatrais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife.

São 48 companhias estáveis de teatro e mais 10 artistas solos que vem desenvolvendo trabalhos relevantes de experimentação de linguagem nos eixos do teatro negro, político e de gênero. Cada episódio apresenta dois grupos teatrais, alguns programas exibem também espetáculos solos de artistas que marcaram a cena nacional na última década, e um especialista (pesquisador, crítico ou jornalista) que comenta e contextualiza a cena ou proposta exibida. O primeiro documentário, exibido no dia 23/07 às 23h, investiga as formações, conceitos e trajetórias do Grupo Clariô de Teatro e Capulanas Cia. de Arte Negra.

A programação faz parte do projeto #Do13ao20 – (Re)Existência do Povo Negro, que faz alusão aos marcos do 13 de maio e do 20 de novembro, propõe diálogos sobre a condição social da população negra e objetiva reiterar os valores institucionais, bem como o reconhecimento das lutas, conquistas, manifestações e realidades do povo negro.

Para sintonizar o SescTV: Canal 128 da Oi TV ou consulte sua operadora. Assista também online em sesctv.org.br/aovivo. Siga o SescTV no Twitter: http://twitter.com/sesctv e no Facebook: https: facebook.com/sesctv.

LEIA MAIS

Comentários