Seis mini residências artísticas são viabilizadas por meio do programa Música Minas

A Fundação de Educação Artística (FEA) oferecerá  gratuitamente, em seis regiões do estado, seis mini residências artísticas para músicos mineiros em 2016. A entidade foi selecionada pelo edital de chamamento público do programa Música Minas, que disponibiliza R$ 405 mil para a realização dessas ações, em mútua cooperação, com vistas à promoção de modelos de fazeres artísticos contemporâneos, que partam do processo colaborativo e priorizem dinâmicas que valorizem a obra em progresso. A previsão é que a operação das mini residências aconteça ao longo deste ano.

No campo da música, entende-se por residência artística a oferta de espaço e de condições propícias ao trabalho criativo e produtivo, à pesquisa musical, à experimentação de linguagem e ao compartilhamento do fazer artístico, com vistas ao desenvolvimento de novas linguagens, ao aprimoramento técnico, tendo como objetivo o convívio e as possibilidades de interlocução, de diálogo e de colaboração inerentes às práticas de residência.

A escolha da entidade privada e sem fins lucrativos, via chamamento público, levou em conta a moderna proposta apresentada. A obra “Seis Propostas para o Próximo Milênio”, de Ítalo Calvino, serviu de mote e inspiração para a equipe de mediadores da FEA. Neste livro, um dos mais importantes escritores italianos do século XX trata sobre como trabalhar a leveza e investir em “uma habilidade inata de subtrair peso às coisas”. Assim a FEA planeja que sejam as mini residências mineiras – leves e sem limites para a criatividade.

O projeto prioriza a composição de um todo harmonioso. Jogos e processos de interação e improvisação musical, além da edição coletiva do material autoral, possibilitarão a apreensão das peculiaridades musicais das cidades pólos contempladas, respondendo às aspirações dos artistas locais.

“O edital funciona como alternativa à grande parte das políticas públicas de incentivo à cultura no Brasil, que tendem a compelir os artistas à formulação de projetos cuja execução se dá pelo cumprimento de processos e tarefas previamente estabelecidos”, explica o Secretário Adjunto de Estado de Cultura, João Miguel. “Sob a batuta da FEA, essas residências garantirão a potencialidade dos diferenciais da música mineira, solidificando e fortalecendo os diferentes elos da cadeia criativa e produtiva da música no nosso Estado”, finaliza.

Dona de uma sólida formação musical com estudos no Brasil, na França, Suíça e Áustria, onde se diplomou pela Academia de Música de Viena, Berenice Menegale, diretora executiva da FEA, ressalta a importância de políticas públicas de cultura como essa.

“Para nós é um orgulho estar junto ao Governo de Minas Gerais. Desde sua fundação, em 1963, a fundação está focada em ações de intercâmbio e laboratórios para o desenvolvimento de processos criativos, antes mesmo de conhecermos isso como ‘residência artística’”, conta a pianista.

Berenice Menegale destacou o ineditismo da ação. “Nesses anos todos, já levamos às várias instâncias públicas e privadas propostas de residências como essas, mas nunca tivemos este apoio. O Programa Música Minas mostra que sim, é possível levar profissionais entusiasmados e criativos à descoberta do potencial musical que certamente encontraremos nas diferentes regiões do Estado”, comemora a diretora executiva.

Fundação de Educação Artística
A Fundação de Educação Artística (FEA) é uma entidade sem fins lucrativos, de forte cunho social, com penetração em todas as classes sociais, que tem como objetivo contribuir para a democratização, o aprimoramento e a atualização do ensino das artes e, em particular, da música.

Criada em maio de 1963, por um grupo mineiro de artistas e intelectuais, apresentou-se, desde sempre, como um centro de experimentação, renovação e difusão artística de base cultural ampla.

No âmbito educacional, merece destaque o papel desempenhado pela FEA no processo de atualização do ensino musical, não só em Belo Horizonte, como também em diversos centros de formação do País. Por valorizar o intercâmbio entre as artes, a Fundação de Educação Artística mantém-se sempre aberta a novas ideias, experimentações e pesquisas.

*Com informações da Agência Minas.

Comentários