Vito Placca, Laila Garin e Paulo Betti apresentam espetáculos na série “Teatro” do #EMCASACOMSESC

Vitor Placca em monólogo sobre a solidão, Laila Garin interpretando Joana, de Gota D’Água, e Paulo Betti encenando sua autobiografia. Transmissões pelo YouTube e Instagram do Sesc

O Sesc São Paulo promove a série Teatro #EmCasaComSesc, com a transmissão de diferentes trabalhos cênicos direto da casa dos artistas, sempre às segundas, quartas, sextas e domingos, às 21h30. No ar desde maio, a série apresenta ao público nesta semana os espetáculos: “O Desmonte”, com Vitor Placca; “Joana de Gota d’Água a Seco”, com atuação de Laila Garin; e “Autobiografia Autorizada”, de Paulo Betti.

O Desmonte, solo de Vitor Placca, com dramaturgia e direção de Amarildo Félix, será apresentado na quarta-feira, 9 de setembro. O espetáculo inicia com o término de uma relação, anunciando tempos tristes. A melancolia paira sobre um apartamento na cidade, onde um homem vive sozinho, avesso a amigos e visitas. No entanto, na madrugada de mais uma noite solitária, ele recebe uma visita inesperada: um rato aparece para destruir tudo e dar novo sentido à sua vida. Em versão para o Teatro #EmCasaComSesc, a peça adapta-se a um espaço reduzido, buscando outras camadas de percepção e de relação com o público, e traz a linguagem audiovisual como papel central do trabalho, em complemento ao gesto e ao texto. Classificação: 14 anos.

Na sexta-feira, 11 de setembro, Laila Garin interpreta Joana de Gota d’Água a Seco, solo que traz a direção de André Curti e Artur Luanda Ribeiro, da Cie Dos à Deux. A partir dos versos e rimas do clássico de Chico Buarque e Paulo Pontes (1940-76), Gota d’Água, o espetáculo traduz a dramaturgia gestual da personagem, que se recusa a aceitar a condição que lhe foi imposta. Abandonada com os filhos por Jasão e expulsa de casa por se recusar a ser explorada, Joana grita com a voz e os gestos que lhe restam. Laila Garin é atriz e cantora, formada em interpretação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Ficou conhecida pelo público e pela crítica ao protagonizar Elis, a Musical, espetáculo de Nelson Motta, com direção de Dennis Carvalho. Classificação: 14 anos.

Escrito e protagonizado por Paulo Betti, que dirige o espetáculo em parceria com Rafael Ponzi, o monólogo Autobiografia Autorizada marca a comemoração dos 40 anos de carreira de Betti, a ser apresentado no domingo, 13 de setembro. Construído pelo próprio artista, que se inspirou nos textos escritos durante a adolescência e em artigos semanais que escreveu por quase trinta anos para o Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba (SP), a peça fala de um Brasil profundo e relembra a história de superação do próprio ator. Desta forma, o espetáculo ajuda a contar um pouco da história da imigração italiana no Brasil. Com humor, poesia e dor, Betti mergulha na vida de seus pais e avós e emerge com uma peça que reafirma a importância da escola e do trabalho social para a valorização do ser humano. Classificação: 12 anos.

Agenda até de setembro, 21h30:

  • quarta-feira, 9 de setembro: Vitor Placca em “O Desmonte”
  • sexta-feira, 11 de setembro: Laila Garin em “Joana de Gota d’Água a Seco”
  • domingo, 13 se setembro: Paulo Betti em “Autobiografia Autorizada”

LEIA MAIS

Comentários