Quadrinista brasileiras ganha Prêmio Eisner 2019

O Prêmio Eisner é considerado o Oscar das histórias em quadrinhos. E na edição desse ano, a ilustradora Adriana Melo ganhou o prêmio pela coletânea de histórias em quadrinhos “Puerto Rico strong” , da qual ela participou. A publicação venceu como Melhor Antologia. Outros cinco brasileiros também concorriam a troféus em diferentes categorias.

Infelizmente, a história não tem previsão de lançamento no mercado editorial brasileiro. “Puerto Rico strong” reúne dezenas de histórias que tem o país caribenho como cenário e foi publicado com o objetivo de levantar fundos para vítimas do furacão Maria, que devastou Porto Rico em 2017. O livro foi produzido por mais de 60 artistas, entre roteiristas e ilustradores de diversas nacionalidades.

Adriana assina das páginas roteirizadas por Jeff Gomez e que acompanha um menino de 12 anos, filho de porto-riquenhos e morador dos Estados Unidos, durante as férias de verão na nação de origem dos pais. É ali que ele entra, pela primeira vez, numa loja de HQs, e encontra, de certa forma, a própria vocação.

Essa é a primeira vez que Adriana Melo vê uma produção própria ser indicada e premiada. A artista é vinculada aos estúdios DC Comics. Ela é a responsável por franquias como “Batman”, “Superman” e “Mulher maravilha” que ilustra do ambiente de trabalho montado dentro de casa, na capital paulista. Semanalmente, ela envia uma média de oito páginas para a sede da empresa, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Vencedores do Prêmio Eisner 2019

Melhor história curta: The Talk of the Saints por Tom King e Jason Fabok, em Swamp Thing Winter Special (DC Comics)

Melhor história em edição única: Peter Parker: The Spectacular Spider-Man #310, de Chip Zdarsky (Marvel)

Melhor série: Dias Gigantes, de John Allison, Max Sarin, e Julaa Madrigal (BOOM! Box)

Melhor minissérie: Senhor Milagre, de Tom King e Mitch Gerads (DC Comics)

Melhor série estreante: Gideon Falls, de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino (Image)

Melhor publicação infantil (até 8 anos): Johnny Boo and the Ice Cream Computer, de James Kochalka (Top Shelf/IDW)

Melhor publicação infantil (de 9 a 12 anos): The Divided Earth, de Faith Erin Hicks (First Second)

Melhor publicação juvenil (de 13 a 17 anos): The Prince and the Dressmaker, de Jen Wang (First Second)

Melhor publicação de humor: Dias Gigantes, de John Allison, Max Sarin, e Julia Madrigal (BOOM! Box)

Melhor antologia: Puerto Rico Strong, editado por Marco Lopez, Desiree Rodriguez, Hazel Newlevant, Derek Ruiz, e Neil Schwartz (Lion Forge)

Melhor não-ficção: Is This Guy For Real? The Unbelievable Andy Kaufman, de Box Brown (First Second)

Melhor álbum gráfico (inédito): My Heroes Have Always Been Junkies, de Ed Brubaker e Sean Phillips (Image)

Melhor álbum gráfico (republicação): Visão, de Tom King, Gabriel Hernandez Walta, e Michael Walsh (Marvel)

Melhor adaptação de outra mídia: Frankenstein de Mary Shelley, em Frankenstein: Junji Ito Story Collection, adaptado por Junji Ito (VIZ Media)

Melhor edição americana de material estrangeiro: Brazen: Rebel Ladies Who Rocked the World, de Pénélope Bagieu (First Second)

Melhor edição americana de material estrangeiro (asiático): Tokyo Tarareba Girls, de Akiko Higashimura (Kodansha)

Melhor coleção de arquivos (tiras): Star Wars: Classic Newspaper Strips, vol. 3, de Archie Goodwin e Al Williamson, editado por Dean Mullaney (Library of American Comics/IDW)

Melhor coleção de arquivo (quadrinhos): Bill Sienkiewicz’s Mutants and Moon Knights… And Assassins… Artifact Edition, editado por Scott Dunbier (IDW)

Melhor roteirista: Tom King por Batman, Senhor Milagre, Heroes in Crisis e Swamp Thing Winter Special (DC Comics)

Melhor roteirista/desenhista: Jen Wang por The Prince and the Dressmaker (First Second)

Melhor arte-final ou time de arte-finalistas: Mitch Gerads por Senhor Milagre (DC Comics)

Melhor desenhista/artista multimídia (páginas internas): Dustin Nguyen por Descender (Image)

Melhor capista: Jen Bartel por Blackbird (Image); Submerged (Vault)

Melhor colorista: Matt Wilson por Black Cloud, Paper Girls, The Wicked + The Divine (Image); O Poderoso Thor, Fugitivos (Marvel)

Melhor letrista: Todd Klein por Black Hammer: Age of Doom e Neil Gaiman’s A Study in Emerald (Dark Horse); Batman: Cavaleiro Branco (DC Comics); Eternity Girl e Livros da Magia (Vertigo/DC Comics); The League of Extraordinary Gentlemen: The Tempest (Top Shelf/IDW)

Melhor quadrinho relacionado a jornalismo: Back Issue editado por Michael Eury (TwoMorrows) PanelxPanel magazine, editado por Hassan Otsmane-Elhaou, panelxpanel.com

Melhor livro sobre quadrinhos: Drawn to Purpose: American Women Illustrators and Cartoonists, de Martha H. Kennedy (University Press of Mississippi)

Melhor trabalho acadêmico: Sweet Little C*nt: The Graphic Work of Julie Doucet, de Anne Elizabeth Moore (Uncivilized Books)

Melhor design de publicação: Will Eisner’s A Contract with God: Curator’s Collection, design de John Lind (Kitchen Sink/Dark Horse)

Melhor quadrinho digital: Umami, by Ken Niimura (Panel Syndicate)

Melhor webcomic: The Contradictions, de Sophie Yanow

LEIA MAIS

Comentários