Programa da Rede Minas trata sobre o Direito para as mulheres

As mulheres são a maioria do eleitorado, mas apenas 290 foram eleitas em todo o país nas últimas eleições, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Hoje a preocupação com as mulheres vai além do sexo visto como vítima, mas também na representatividade delas na política, no judiciário e no mercado de trabalho, além da inserção das mulheres negras e pobres no contexto sócio-político. O programa “Mulhere-se”, da Rede Minas, coloca essa pauta em questão no quinto episódio da série, que vai ao ar na quinta-feira, 4 de abril.

Para falar sobre o assunto, a advogada Ana Paula Freitas, da Assessoria Popular Maria Felipa, faz uma análise da mulher nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário para uma mudança da sociedade patriarcal. Freitas ainda traça um panorama do sistema até os dias de hoje, o que garantiu direito às mulheres, como a Lei Maria da Penha.

O programa ainda traz o depoimento da portuguesa mestre em Comunicação Política Diana Santos, que gravou para o “Mulhere-se” direto de Porto, sobre a necessidade da mulher não ser apenas um sexo forte, mas “um sexo com voz”. No quadro “Sarau”, a MC Ohana compôs e gravou o rap “Bora Bebete” que trata sobre as dificuldades sociais vivenciadas pela mulher negra no país. O hit foi instrumentalizado pelo beate maker Eu Penaforte.

Sobre o “Mulhere-se”

Dirigido e apresentado por Sara Silva Ribeiro, o “Mulhere-se” está na sua quinta temporada. O programa se destacou por dar voz à parcela da sociedade feminina e foi ganhador de prêmios, como o internacional Festival Iberoamericano da Cultura Viva, em 2017.

SERVIÇO

5º Temporada – “Ciclos”
Exibido às quintas-feiras, às 20h45

LEIA MAIS

Comentários