Pesquisas comprovam: quem lê é mais feliz!

Em tempos de crises que fecham grandes livrarias, a plataforma de leitura da Amazon, Kindle, encomendou uma pesquisa que trouxe um pouco de alegria para os leitores de plantão. Conduzida pela consultoria Kelton Global em 13 países, com mais de 27 mil participantes, a pesquisa mostrou o quanto ler é um hábito essencial.

De acordo com os resultados do estudo, praticar esse hábito a leitura aumenta a felicidade, ajuda as pessoas a aprofundarem seu sentimento de empatia e melhora, consideravelmente os relacionamentos interpessoais.

Segundo a pesquisa, 71% dos leitores semanais afirma se sentir mais felizes, em comparação com 55% dos outros leitores. Foi possível perceber que há um aumento do relaxamento e dos efeitos positivos da leitura. Esses são sintomas atribuídos aos leitores se sentem mais felizes do que aqueles que leem com menos frequência ou não o fazem.

Em relacionamentos amorosos, mais de 65% dos entrevistados concordam que a leitura é um hábito que gera atração e 41% dos casais globais dizem que discutir livros foi uma das coisas que os fizeram se apaixonar. E a importância vai além, com quase 30% dos leitores casados ou em um relacionamento dizendo que questionariam sua relação com base nos tipos de livros ou gêneros escolhidos por seu parceiro.

As pessoas também estão querendo dedicar mais tempo à leitura, com quase metade dos participantes (45%) afirmando que estabeleceram como meta de desenvolvimento pessoal para este ano ter o hábito de ler mais livros. Por sinal, o objetivo de dedicar-se à leitura é superior ao desejo de perder peso em países como Brasil, China, Índia e México.

Essa reportagem foi divulgada pela Revista Galileu.

Comentários