Novos livros revisitam Drummond e a sua obra

Nascido em 31 de outubro, Carlos Drummond de Andrade é apontado como um dos maiores escritores da língua portuguesa. A sua obra reúne um vasto arsenal de palavras que transitam entre poemas, crônicas e contos, que vem encantando e influenciando gerações de leitores e artistas. Não à toa que o mês de outubro é dedicado a homenagear e difundir todo o legado deixado por esse literato itabirano.

Em meio a essas celebrações quem ganha o presente são os leitores, que recebem uma variedade de materiais que mostram o universo criativo de Drummond. E geram novas reflexões e contatos sobre a sua produção artística. Além de manter vivo o interesse pela literatura e as suas possibilidades. Uma importante ferramenta de construção e difusão da cultura nacional.

Em 2015 comemora-se o 113º aniversário de nascimento do poeta. Até o final do mês diversas homenagens serão feitas, mas ao longo do ano algumas produções ajudam a reforçar o contato com a obra poética de Drummond e a conhecer um pouco mais desse escritor que, à sua maneira, mexe com o imaginário de leitores e estudiosos da sua obra.

Com lançamento previsto para 6 de novembro em Belo Horizonte, o livro “O Poeta e a Foca”, da jornalista Nanete Neves, relata o seu encontro e entrevista realizada com Drummond em 1977 e toda a trajetória que a levou até o escritor. Na época, o poeta estava para completar 75 anos e, discreto no seu jeito de ser, evitava dar entrevistas à imprensa. Porém, abriu uma exceção e conversou com a jornalista, que estava no início da sua carreira e trabalhava para um pequeno jornal paulista.

Dessa entrevista nasceu uma amizade entre Drummond e Nanete Neves, que rendeu trocas de cartas e telefonemas. O livro, lançado pela Editora Pasavento, apresenta um pouco mais da pessoa Carlos Drummond de Andrade, indo um pouco mais além da figura de escritor, com a qual as pessoas têm mais contato.

Outra obra que chega ao público neste ano é a reedição do projeto “Nova Reunião”, publicado pela Companhia das Letras, e que abriga 23 livros do poeta em apenas um único volume. Oportunidade para aqueles que querem conhecer a versatilidade e amplitude dos versos de Drummond. Essa compilação artística permite que os leitores tenham contato com as visões do escritor sobre o Brasil do século XX.

“Nova Reunião” é a continuação de um projeto iniciado pelo próprio Drummond. Em 1969, o poeta aglutinou em sua “Reunião” os dez livros que havia escrito até então. Mais tarde, em 1983, fez uma nova compilação, que ganhava, pela primeira vez, o nome de “Nova Reunião”, e passava a contar com 19 livros. A nova edição é um apanhado realizado pelos seus netos Luis Mauricio e Pedro Graña Drummond e traz trechos de livros póstumos – chegando a 23 volumes reunidos em uma única obra.

Comentários