Mostra Internacional de Cinema no #EmCasaComSesc

Dentre as estreias da semana, destaque para o filme alemão “Todos os Outros”, inédito no Brasil; para o senegalense “Madame Brouette”, para os títulos da programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema, que serão exibidos em ambiente exclusivo no Sesc Digital, além da série de curtas para a garotada pelo CineClubinho. A série Cinema #EmCasaComSesc oferece a cada semana streaming gratuito de filmes em alta qualidade e sem necessidade de cadastro; para assistir, acesse: sescsp.org.br/cinemaemcasa, sescsp.org.br/cineclubinho, sescsp.org.br/44mostra

A série Cinema #EmCasaComSesc, realizada pelo Sesc São há mais de quatro meses, disponibiliza gratuitamente ao público novos filmes em streaming pela plataforma do Sesc Digital. Na próxima quinta-feira, 22 de outubro, a série estreia as obras de ficção “Requiem Para Senhora J.” e “La Sapienza”, o título inédito “Todos os Outros”, pela Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!, o senegalense “Madame Brouette”, pelo Cine África, e um programa especial de curtas para a garotada, pelo CineClubinho. A grande novidade da semana é a exibição, a partir do dia 22 – e com estreias também nos dias 26 e 29 -, de uma seleção gratuita de filmes da programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, em ambiente exclusivo no Sesc Digital, numa parceria do Sesc São Paulo com a Mostra.

Disponível a partir de 24, o filme “Todos os Outros”, de Maren Ade, é o destaque da “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!”. Inédito no Brasil, e com limite de visualização para 1700 usuários, o filme conta a história de Chris e Gitti, que estão em um aparente idílio amoroso durante as férias na Sardenha. Porém, em meio as brincadeiras, aos rituais íntimos e aos hábitos fúteis, o relacionamento esconde uma tensão. Numa tentativa de viver perigosamente, Chris começa a revelar seu gênio voluntarioso, querendo mostrar à namorada quem domina na relação. Com isso, a confiança que ela depositava nele sofre um duro golpe. Classificação indicativa 14 anos.

A “Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!” é uma realização do Consulado Geral da República Federal da Alemanha em parceria com o Sesc São Paulo e que neste ano comemora os 30 anos da Reunificação Alemã. Até 13 de novembro, seis premiados títulos dirigidos por mulheres serão disponibilizados gratuitamente no Sesc Digital. A cada sábado, uma nova opção entra em cartaz, todas legendadas em português. Para assistir, basta acessar sescsp.org.br/cinemaemcasa.

Nesta semana, pelo Cine África – que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia e Nigéria -, a estreia é a obra de ficção senegalesa “Madame Brouette”, de Moussa Senè Absa. Mati, também conhecida como Madame Brouette, ganha a vida empurrando seu carrinho de mão nos corredores da feira livre de Sandaga (Senegal). Divorciada, sonha em abrir a própria lanchonete para ganhar a vida com dignidade, junto com a filha, Ndèye, e a amiga, Ndaxté, que também fugiu de um casamento violento. Um dia, ao amanhecer, os moradores do distrito de Niayes Thiokeert são acordados pelo som de tiros. Brouette confessa ter matado o ex-marido e seus vizinhos se unem em sua defesa. Classificação indicativa 12 anos.

O Cinema #EmCasaComSesc também traz outras boas opções. O filme “Requiem Para Senhora J.”, de Bojan Vuletić, fala de Jelena, cujo marido morreu há um ano. Ela se sente cansada e solitária, apesar de viver junto com as duas filhas e a sogra, em seu apartamento na Sérvia. Jelena decide que no final da semana, no aniversário da morte do marido, irá se suicidar. Ela tem uma pistola pronta, mas há uma série de coisas para resolver. Aos poucos, esta mulher tranquila e humilde começa a perceber que nada é simples em um país que está constantemente caminhando entre o tormento e a transição. Classificação indicativa 14 anos.

Outra sugestão é “La Sapienza”, de Eugène Green. Alexandre é um arquiteto bem-sucedido que vai para a Itália trabalhar num livro acompanhado de sua esposa, Alienor, que sente o casamento abalado. Em Stresa, conhecem Goffredo, futuro estudante de arquitetura, e sua irmã, Lavinia, que sofre de um transtorno nervoso. Enquanto Alienor fica com Lavinia, Alexandre continua sua viagem com Goffredo. A separação será o início de uma nova jornada para o casal. Classificação indicativa 12 anos.

A novidade da semana é a exibição de títulos que integram a programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo no Sesc Digital, a partir do dia 22, e com estreias também nos dias 26 e 29, em uma parceria do Sesc São Paulo com a Mostra. Os filmes, que poderão ser vistos no ambiente exclusivo da plataforma de streaming do Sesc (sescsp.org.br/44mostra), têm limite de mil a 2 mil visualizações. “Para o Sesc, o apoio a difusão de filmografias mundiais é fundamental para a expansão do acesso da diversidade de obras para todos os públicos. O cinema, como prática social e simbólica, tem sinalizado – de modo cada vez mais pulsante – que a arte é lupa que amplia a crítica da realidade”, comenta Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

As estreias na quinta-feira, dia 22/10, são os títulos “Sem Cabeça”, “Nimby”, “O Caminho para Moscou”, “Luz Acesa”, “O Mágico e o Delegado” e “Guerra”. Já na segunda-feira, dia 26/10, as estreias são os títulos “1986”, “Sobradinho”, “Winona”, “A Herdade” e “Ladrões de Cinema”. Confira as sinopses na programação abaixo.

Pelo CineClubinho, novo espaço na Plataforma Sesc Digital que apresenta o melhor do cinema infantil e infanto-juvenil, o destaque da semana é uma programação de curtas de animação que falam de convivência e o relacionamento, seja com pais, com amigos ou mesmo com pessoas “indesejadas”. O título “Menina da Chuva”, de Rosária, fala de bonecas vermelhas para as meninas vermelhas, bolas azuis para os meninos azuis. “Calango Lengo – Morte e Vida Sem Ver Água”, de Fernando Miller, trata de Calango Lengo, nordestino que tem que cumprir seu destino, sem ter o que colocar no prato. “Dia Estrelado”, de Nara Normande, mostra um lugar inóspito, onde um menino e sua família lutam pela sobrevivência. “Eu Queria Ser Um Monstro”, de Marão, traz o cotidiano de uma criança com bronquite. E “Historietas Assombradas (Para Crianças Mal Criadas)”, de Victor-Hugo Borges, apresenta três histórias que sua avó não contou – senão, você ia fazer xixi na cama.

LEIA MAIS

Comentários