Minas Gerais tem dois municípios candidatos à Rede de Cidades Criativas da Unesco

A gastronomia e o audiovisual mineiro ganham destaque com a confirmação de Belo Horizonte e Cataguases na disputa

Minas Gerais larga na frente para ter um de seus municípios vinculados à Rede de Cidades Criativas da Unesco. Duas das três candidaturas mineiras foram selecionados pelo Itamaraty. A Rede, que tem por objetivo estabelecer parcerias para promover o desenvolvimento internacional das indústrias criativas, impulsionando a diversidade cultural e a construção de novos elos a partir da cooperação mundial, reúne 180 cidades, de 72 países.

Belo Horizonte, representando a gastronomia, e Cataguases, como representante do audiovisual, se juntam a Fortaleza (CE) e Aracaju (SE) como as candidatas brasileiras ao hub internacional de economia criativa. Conhecida pela sua riqueza musical, Diamantina, localizado no Vale do Jequitinhonha, também se candidatou, mas ficou de fora da seleção. O resultado da edição 2019 deve sair até o fim do ano e deve integrar mais duas cidades brasileiras à rede.

Segundo o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, Minas mostrou a força e a riqueza de sua cultura ao ter duas de suas cidades indicadas para a última etapa.

“Essa é uma primeira vitória para o estado. Cataguases abriga o Polo Audiovisual da Zona da Mata, que é uma referência para o cinema nacional, e o berço dos trabalhos do importante cineasta mineiro Humberto Mauro. Já a capital mineira é uma das referências gastronômicas do Brasil e promove ações de resgate de produtos e ingredientes, valorizando os modos de fazer e saberes da gastronomia local. Estamos confiantes e esperamos integrar essa importante rede de fomento à economia criativa”, avalia o secretário.

De acordo com o gestor cultural no Instituto Fábrica do Futuro e um dos responsáveis pela candidatura de Cataguases, César Piva, a entrada do município na Rede de Cidades Criativas da Unesco permitirá o aumento do intercâmbio e o incremento da formação e cooperação técnica internacional.

“A cidade está entrando em um novo momento, buscando ampliar o número de produções com a participação de cineastas e produtoras estrangeiras, e estabelecendo parcerias para coproduções. Estar vinculada à rede da Unesco nos abrirá ainda mais portas e permitirá desenvolver sustentavelmente a região”, reforça Piva.

Rede Mineira de Cidades Criativas

Para fomentar o engajamento dos agentes culturais e econômicos das cidades mineiras envolvidas na seleção da Unesco e promover ainda mais a cultura e o turismo no estado, a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), em parceria com os municípios de Cataguases, Diamantina e Belo Horizonte, está em processo de estruturação da Rede Mineira de Cidades Criativas.

A iniciativa tem por objetivo criar um circuito intermunicipal de cooperação, liderado pelo Governo de Minas Gerais, para impulsionar a economia criativa e auxiliar na diversificação da matriz econômica do estado.

“Queremos tornar a economia criativa um dos pilares da sustentação econômica do território mineiro. O projeto da Rede Mineira de Cidades Criativas vai gerar uma ampla integração entre os agentes e produtores culturais, fomentando não só a cultura, mas também o turismo regional”, pontua o secretário Marcelo Matte.

*Com informações da Agência Minas.

LEIA MAIS

Comentários