Largo do Batistinha recebe a mostra “Não Deixe o Samba Morrer” no final de semana

É estranho imaginar que o samba, um gênero tão brasileiro, só tenha sido oficializado há 100 anos. Em novembro de 1916, Ernesto dos Santos, o “Donga”, registrou o primeiro samba na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, “Pelo Telefone”, e entrou para a história. O episódio foi muito importante para o processo de profissionalização dos compositores do gênero.

Em comemoração ao centenário dessa data tão importante, a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) promove nos dias 09 e 10 de dezembro, a partir das 20h, no Largo do Batistinha, na região central de Itabira, a mostra “Não Deixe o Samba Morrer”, que reúne artistas que representam o samba na cidade. O evento é gratuito.

Na sexta-feira, 09 de dezembro, as apresentações ficam por conta de Romário Araújo e Nonoca e do Grupo Sambez. No sábado, 10 de dezembro, quem sobe ao palco é Felype Guiniu e 3 no Samba.

SERVIÇO

Mostra “Não Deixe o Samba Morrer”
Shows com Romário Araújo e Nonoca, Grupo Sambez, Felype Guiniu e 3 no Samba.
Data e horário: 09, sexta-feira, e 10, sábado, sempre às 20h
Local: Largo do Batistinha (Centro, Itabira, Minas Gerais)
Ingressos: Gratuito

nao-deixe-o-samba-morrer-fccda

LEIA MAIS

Comentários