Jovem desenhista itabirano encanta com seu talento

O itabirano Bruno de Souza, 23 anos, costuma dizer que “desde que se lembra por gente, sempre fui fascinado com os mundos magníficos que as pessoas inventavam e desenhavam”. Desde muito novo, já criava as próprias histórias e reproduzia capas de revistinhas em quadrinhos, como as da Turma da Mônica. O encantamento infantil se mostrou um talento nato e, agora, mais conhecido como Bruno “Cobal” Souza, o desenhista vem fascinando a todos que vêem de perto o seu trabalho.

IMG_0152Auto retrato de Bruno Cobal

Ao longo dos anos, Cobal teve a oportunidade de participar de workshops e oficinas para lapidar seu talento, mas  foi a curiosidade que o moveu a maior parte do tempo. “Acho que fui aprendendo a desenvolver meus traços e afinar minhas referências por conta própria mesmo. Tive vários anos de tentativas e experiências em diversas áreas diferentes da arte”, relembra. E foram muitas mesmo! Cobal se aventurou com grafite, canetas, lápis de cor, tinta a óleo e acrílica, ilustração digital, tatuagem, fotografia, tipografia, design, edição de fotos e animação!

Aplicado, Cobal conta que passar por tantas áreas da arte foi um reflexo de querer estudar os próprios desenhos. “Fui pegando um pouquinho de cada coisa que via que funcionava. Percebi o que deu certo, o que não deu e onde eu poderia melhorar. Tirando isso, foram várias horas também na frente do computador, ouvindo podcasts, assistindo vídeos, buscando por tutoriais e acessando dicas em fóruns e sites de arte”, explica.

Trabalhos feitos por Cobal para eventos de música

INSPIRAÇÕES

Essa busca constante por aprendizado também teve inspiração em artistas renomados da área. E Cobal deixa claro que é difícil escolher apenas um como principal referência. “Acho que a maior referência que tenho nos meus traços e na forma de contar histórias são de autores de obras japonesas, como Eiichiro Oda (autor de “One Piece”) e, recentemente, Hirohiko Araki (autor de “Jojo’s Bizarre Adventure”). Também gosto bastante dos pintores que fizeram trabalhos com temas surrealistas, como Frida Kahlo e Salvador Dali. Entre os clássicos, admiro Claude Monet e Vincent Van Gogh. Além, é claro, de grandes histórias com temas heroicos, filmes e quadrinhos, como Turma da Mônica, Tintin, Asterix e Obelix, Homem-Aranha, Kick-Ass e muitos outros”, lista.

Com uma lista potente dessa não tinha como ele não crescer artisticamente. Cobal frisa que foram anos e anos refinando o próprio traço. Detalhista, ele conta que seu desenho sempre teve a identidade que vemos hoje. “Mas senti que fui aperfeiçoando algumas coisas e construindo novas identidades visuais com cada ilustração. E ainda sinto que tem muita coisa a ser melhorada. Então, daqui um tempo, espero que esteja mais refinado”, afirma.

Alguns trabalhos de Bruno Cobal

PERSONAGENS E PROCESSO CRIATIVO

Quem já teve a oportunidade de ver seus trabalhos em seu perfil no Instagram, pôde notar que Cobal é autor de diversos personagens. O primeiro deles foi criado com história! É o Tim, um agente secreto que fazia várias missões ao redor do mundo, viajava no tempo e lutava contra monstros em universos paralelos. Cobal tinha apenas 6 ou 7 anos quando o inventou! “Desenhava as histórias dele em um caderno de ata do Homem-Aranha!”, recorda.

Outro personagem conhecido dele é o Super Cobal, criado há cerca de 9 anos. “No começo ele era um reflexo do que eu queria ser. Eu o desenhava pra mim mesmo, como uma espécie de desabafo. Com o tempo, o personagem foi ganhando vida própria e evoluindo pra uma coisa mais complexa. Decidi então tratar a história dele com um pouco mais de cuidado, para conseguir escrever e elaborar todas as ideias que queria colocar no mundo dele”, explica.

IMG_0025Personagem Super Cobal

Para criar personagens como esse, atualmente, ele recorre a um processo criativo variado. Ele explica que sempre trabalhou com mídias manuais e digitais, mas  que, hoje em dia, faz todos os desenhos digitalmente, em seu iPad, pelo programa Procreate. “Começo com a ideia geral: tenho listas de vários desenhos, ideias que quero aplicar e coisas que procuro praticar, como fundos, cenários, proporção e perspectiva. Vou rascunhando a ideia geral e montando a ilustração, distribuindo os elementos de uma forma interessante. Geralmente, a primeira coisa que faço é o elemento principal do desenho. Somente quando o rascunho estiver “perfeito”, eu passo para o traço final. Depois vem sombra, iluminação e cores. Repito o mesmo processo pro cenário, rascunhando e depois passando pras outras etapas. Por fim, entram detalhes a mais e outros elementos, como texto, onomatopeias, entre outras coisas”, detalha.

Ilustrações de Cobal

VERMELHO COBALTO

Tanta minúcia no processo criativo só poderia render personagens cheios de estilo e histórias cativantes. E como juntar todas elas de forma a apresentar para as pessoas esse trabalho? Foi quando Cobal teve a ideia de reunir, em uma publicação impressa, seus personagens e coisas que inspiraram a criação de seus desenhos. “Eu já tinha centenas de desenhos, então decidi fazer um compilado deles em forma de uma pequena revista. A ideia é testar todos os elementos que eu gostaria que estivessem presentes dentro de uma publicação mais detalhada como, por exemplo, a playlist de músicas que inspiraram alguns dos desenhos e a participação de artistas convidados que admiro”, conta.

Nasceu assim, “Vermelho Cobalto”, uma revista com 40 páginas que, de certa forma, conta um pouco da trajetória de Cobal no aprimoramento de seus traços e que irá transportar os leitores para o mundo de inspirações dele. “É uma espécie de aquecimento, para que as pessoas se familiarizem com meu trabalho antes das minhas futuras publicações, mais refinadas ainda”, afirma.

IMG_0268

E “Vermelho Cobalto” já saiu da gráfica e será lançada no próximo sábado, dia 1 de dezembro, às 16h30, no Memorial Carlos Drummond de Andrade. “Estou bastante animado. Imagina a minha honra de lançar minha primeira revista no Memorial do maior poeta da cidade? Por ser o meu début no mundo das publicações impressas, espero que as pessoas se animem para ir prestigiar o evento”, comemora.

IMG_9550

Justamente por isso, Cobal preparou uma tarde repleta de atrações. Além da tradicional sessão de autógrafos e da venda de “Vermelho Cobalto”, também estarão disponíveis outros itens de arte dele como adesivos e pôsteres. Cobal também irá produzir uma ilustração ao vivo! E tudo isso ao som do cantor itabirano Vinicius Barcelos que promete um repertório especial que inclui músicas autorais. Acha que acabou? Estarão presentes no evento alguns dos artistas que têm seus desenhos publicados na revista, bem como vários artistas e ilustradores da cidade que irão produzir, juntos, um desenhaço!

IMG_0323

Quem quiser conhecer, de perto, o trabalho do Bruno Cobal não pode perder esse grande evento. Mas, caso isso aconteça, Cobal avisa que ele e o cantor Vinícius Barcelos pretendem fazer um tour por Itabira, parando em locais públicos, em diferentes horários, para fazer novas sessões de autógrafos! É ou não uma linda forma de levar a arte onde o povo está?

LEIA MAIS

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras