Joaquin Phoenix ganha o Bafta 2020 e brilha com discurso contra o racismo

A Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão anunciou no último domingo, 2 de fevereiro, os vencedores do BAFTA 2020, conhecido como o “Oscar Britânico”.

O filme de Sam Mendes, “1917”, que tinha nove indicações, saiu com sete estatuetas, incluindo Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Fotografia. Recordista de indicações na premiação, com 11 menções, “Coringa” venceu apenas três estatuetas, nas categorias de Melhor Ator, para Joaquin Phoenix, Melhor Direção de Elenco e Melhor Trilha Sonora.

Joaquin Phoenix fez mais do que levantar a estatueta. Além de confirmar o favoritismo no papel do protagonista de “Coringa”, usou o seu discurso para criticar a falta de diversidade na premiação. Ele disse se sentir honrado e privilegiado pela escolha, “mas também me sinto em conflito porque muitos dos meus colegas atores são merecedores e não têm o mesmo privilégio. Acho que enviamos uma mensagem muito clara às pessoas de cor de que elas não são bem-vindas aqui. Essa não é uma condenação hipócrita. Me sinto envergonhado em admitir que sou parte do problema. Nós temos que fazer um trabalho duro para entender o racismo sistêmico. Acho que é obrigação das pessoas que criaram, perpetuam e se beneficiam de um sistema de opressão que acabem com ele. Isto está com a gente”, concluiu.

Vale lembrar que todos os concorrentes de Phoenix na categoria eram brancos: Leonardo DiCaprio, Jonathan Pryce,  Adam Driver e Taron Egerton. No Oscar, os cinco indicados também são brancos.

Confira a lista de vencedores nas principais categorias do Bafta 2020:

Melhor Filme: “1917”

Melhor Atriz: Renee Zellweger, por “Judy: Muito Além do Arco-Íris”.

Melhor Ator: Joaquim Phoenix por “Coringa”.

Melhor Diretor: Sam Mendes por “1917”.

Melhor filme britânico: “1917”.

Melhor filme de língua não-inglesa: “Parasita”

Comentários