“Interior”, novo EP do Postura, é um grito sobre as dificuldades de se desenvolver como artista longe dos grandes centros

A arte é um meio importante para externar os sentimentos e trazer à tona as mais variadas discussões. Em “Interior”, terceiro EP da banda itabirana de hardcore Postura, as reflexões sobre a produção musical e o desenvolvimento artístico longe dos grandes centros culturais são disparados em gritos potentes e na força instrumental – características marcantes do grupo.

A construção desse conceito surge junto com os frutos colhidos em seus trabalhos anteriores. Com “Marta” (2015), seu segundo EP, e o single “Então Vem” (2017), o Postura experimentou o amadurecimento do seu trabalho e conquistou visibilidade dentro da cena musical, tendo se apresentando com importantes nomes como CPM 22 e DeadFish, além de ter subido em diversos palcos pelo Brasil. Porém, mesmo com esse reconhecimento, alçar voos maiores segue se mostrando como um grande desafio – compartilhado com diversos outros artistas independentes.

“Esse novo trabalho foi todo construído em cima desse panorama: estar longe dos grandes centros, ter uma cultura rica mas pouco valorizada, encontrar dificuldade na distribuição do nosso som e nas questões logísticas. Além, claro, da perspectiva de vida que nos leva a criar questionamentos internos que são diferentes daqueles que estão em um grande centro urbano. Todo mundo sabe o quanto nossa cidade [Itabira/MG] tem de problemas psicológicos, de seus altos índices de suicídio e a pressão para crescer em um lugar que pouco se desenvolve. Então tentamos de todas as formas abordar esses temas em ‘Interior’”, ressalta Van Basten Moura, vocalista do Postura.

Apesar de o EP contar com um conceito bem definido. A construção desse trabalho não foi planejada e surgiu de maneira natural para os integrantes do grupo. À medida que eles compõem as músicas, também as inserem nos repertórios dos shows. Dessa forma, quando decidiram produzir um novo trabalho, já contavam com várias canções que já vinham trabalhando, o que permitiu contextualizá-las em uma mesma temática.

“Quando decidimos lançar um novo EP, já havia três músicas dele em nosso repertório. Então melhoramos a roupagem e criamos uma última canção que curtimos muito. Fomos analisando as letras, entendendo os pontos em comum e percebemos que precisávamos contextualizá-las em uma palavra ou frase, quando eu disse ‘Interior’ todo mundo curtiu e foi unânime, não havia palavra melhor pra definir o que e pra quem queríamos falar”, destaca Van Basten.

F02

Processo de gravação

Ao contrário do que aconteceu nos trabalhos anteriores, “Resistir e Sempre Acreditar” (2012) e “Marta”, toda a produção do EP “Interior” foi conduzida pela própria banda. A criação, arranjo e gravação aconteceu na casa de alguns dos seus integrantes, apenas a captação da bateria foi feita com ajuda externa, sendo realizada no Studio Manga, em Itabira.

A finalização do material, com mixagem e masterização, foi realizada pelo baterista Policarpo Ribeiro. Enquanto a foto de capa foi registrada pela janela do quarto em que o EP foi produzido.

No vídeo

Junto com o lançamento de “Interior”, o Postura também divulgou o videoclipe da música “Repúdio”. As gravações aconteceram na barragem do Pontal, que concentra rejeito de minério de ferro da Vale, e buscou demonstrar um pouco da realidade de uma cidade do interior que tem a sua história ligada à mineração.

“’Repúdio’ foi a música que mais sentimos à vontade para gravar. Tem uma proposta diferente dos últimos trabalhos que fizemos e, por isso, quisemos enfatizá-la. Esse trabalho foi uma evolução, um peso a menos por soltar esse grito para as pessoas. Cada passo que damos para avançar em nossas metas é motivo de muita comemoração, afinal, não é nada fácil ser banda por aqui!”, afirma Van Basten.

Tanto a captação de imagens quanto a edição do clipe ficaram a cargo da Park Filmes, sob o comando de Esdras Vinícius.

Lançamento

Após divulgar os novos trabalhos, o Postura agora se prepara para o evento oficial de lançamento de “Interior”. O EP poderá ser conferido ao vivo no dia 11 de maio, um sábado, no Mirante Cara de Pau (Alto dos Pinheiros, s/nº, Campestre, Itabira-MG). O show contará com a participação de Rivotrio, Poison or Medicine e Filipe Bônus.

Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 10 (antecipado) e R$ 15 (portaria). Outras informações pela página oficial do evento no Facebook.

F02

“Interior” faixa a faixa, por Van Basten Moura

“Repúdio”

“Já está a mais tempo em nosso repertório. Teve uma ótima aceitação nas vezes em que tocamos ao vivo e talvez seja a letra mais complexa do EP. Existem pontos de interpretação diferentes entre nós mesmos e a ideia é justamente despertar ainda mais pontos de vistas diferentes em quem parar pra ouvi-la. De maneira geral, a composição remete a uma prisão psicológica, sobre os resquícios desse transtorno na vida do individuo e como lidar com isso”.

“Bolero”

“É meio que um drama ou romance, rsrs. Compus num momento em que queria respostas para as coisas que eu planejava e que não dependia só de mim. Muitas vezes é difícil entender sozinho o que as pessoas pensam”.

“Vaidades”

“’Vaidade de Vaidades’ é um texto de Salomão e a passagem bíblica diz o quanto isso é ruim na vida das pessoas. Hoje a gente vê o ego das pessoas cada vez mais alto, principalmente no contexto religioso, e elas se veem superior as outras, julgando e condenando quando, na verdade, deviam amar e sendo a diferença que queremos ver”.

“Eu Nunca quis Citar Drummond”

“É uma critica escancarada a todas as portas na cara que já levamos em nossa própria cidade, muitas vezes por favorecimentos muito duvidosos. Entendemos que Drummond nunca seria Drummond se tivesse ficado aqui e levamos isso como uma lição, esperando expandir cada vez mais nossos horizontes e não nos prendermos apenas às noites brancas itabiranas”.

“Poesia Introdutória”

“Foi um corte da música ‘Repúdio’ em que sentimos necessidade de colocar uma letra. Assim, resolvemos criar a poesia compilando a ideia central do EP e de cada canção”.

Confira o videoclipe de “Repúdio”

LEIA MAIS

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.