Governo de Minas Gerais lança edital de intercâmbio Circula Minas 2018

África, Ásia, Europa, Oceania e todas as Américas. Nos últimos três anos, o Circula Minas levou a cultura mineira aos cinco continentes do mundo. O programa de intercâmbio do Governo de Minas Gerais, executado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), fomentou a troca de experiência, a formação de rede de contatos e a propagação do fazer artístico e acadêmico de 256 pessoas dos mais diversos campos das artes de Minas Gerais.

Para impulsionar ainda mais os trabalhos dos diversos segmentos culturais e dar visibilidade para arte produzida no estado, a SEC lançou o edital 2018 do Circula Minas. O programa de apoio a viagens busca promover a difusão e o intercâmbio da cultura mineira nas diversas áreas, como artes visuais, circo, dança, teatro, literatura, afrodescendente, LGBT, folclore e outras, exceto a música, que possui edital próprio. Os interessados podem acessar o edital e os formulários de inscrição também no site www.cultura.mg.gov.br.

Dividido em quatro períodos de inscrição, o Circula Minas viabiliza viagens por municípios de todo o Brasil e dos cinco continentes do mundo. O investimento total é de R$ 300 mil, revertidos em ajuda de custo para despesas com passagens, seguros de viagem, hospedagem, alimentação, entre outras.

A cerimônia de lançamento contou com a presença de diversos artistas contemplados no edital 2017, como as grafiteiras Carolina Jaued, Louise Líbero e Nayara Gessica, do grupo Minas de Minas, que fizeram as malas para Sergipe, e foram colorir as ruas de Aracaju com a representatividade da mulher durante um encontro internacional de graffiti.

“A gente não conseguiria ter viajado sem o apoio do edital. Muitas vezes não conseguimos participar de um evento, pois não temos como arcar com os custos. Além de termos entrado em contato com uma cultura diferente e termos sido afetadas por aquilo, a viagem foi muito importante para nos aproximarmos de outros grupos e conhecer novos trabalhos”, avalia Carolina. Durante a solenidade, o grupo Minas de Minas realizou um graffiti ao vivo em homenagem ao Circula Minas.

O dançarino Guilherme Vegas, do Coletivo Manifesto Um, também se apresentou no Centro de Referência da Juventude (CRJ) uma coreografia baseada na música “Matchbox Blues”, de Albert King. Os dançarinos foram acompanhados pelos músicos Rafael Regali (guitarra), Babys Souza (bateria) e Lucas Sá (baixo). Contemplado também em 2017, Guilherme participou do Festival Blues Baby Blues, realizado em Londres, na Inglaterra.

”O Circula Minas é muito importante para o artista mineiro, pois permite a nossa atuação em várias frentes, como na pesquisa, formação e qualificação, e, claro, na rede de relacionamentos. Hoje, a gente vive numa sociedade baseada em redes e o intercâmbio é essencial para a ampliação de público e formação de contatos”, pontua.

Entre as inúmeras histórias de artistas contemplados está a de Walleyson de Oliveira. O jovem bailarino saiu de Muriaé, interior de Minas Gerais, e conseguiu, graças ao Circula Minas, estudar em um curso de formação em Nova Iorque.

“A experiência, o convívio com os outros bailarinos e o conhecimento de uma nova cultura já bastariam, mas não foi só isso. Lá consegui mais conhecimento artístico e aprendi muito sobre minha profissão”, explica Walleyson, que encantou o público presente ao lançamento do edital com sua apresentação artística.

A potência desse intercâmbio cultural internacional é sentida também por grupos mais estabelecidos, como é o caso da Cia. Luna Lunera. Com dezesseis anos de estrada, a companhia conseguiu fazer sua primeira apresentação teatral em solo europeu com o apoio do Circula Minas. Eles se apresentaram no norte da França durante o festival de teatro Le Manifeste, conforme relato do ator Cláudio Dias, um dos integrantes.

“Esse programa da Secretaria de Estado de Cultura nos possibilitou realizar este longo deslocamento e ter essa primeira experiência na Europa. Foi muito importante não só pela oportunidade de apresentarmos nosso trabalho, mas foi uma forma de compartilhar nosso processo criativo com artistas franceses e de outros países, o que nos possibilitou uma parceria futura com um grupo de teatro da Grécia”, afirma.

Os depoimentos dos artistas confirmam o entendimento que a Secretaria de Cultura tem desse mecanismo, conforme explicitou o secretário Angelo Oswaldo.

“A cada ano, o Circula Minas consegue alcançar mais sucesso, pois ele permite a descentralização do acesso aos recursos da cultura e também a democratização do investimento”.

Edital

Como forma de garantir a pluralidade e democratização do acesso aos recursos, o edital estabelece como critério de avaliação projetos que contemplem as culturas afrodescendentes e indígenas e que tenham como tema as mulheres, LGBTs e pessoas com deficiência. Além disso, ainda fixa que propostas provenientes do interior também entram no conceito avaliatório.

De acordo com Tatiana Nonato, diretora de Informação e Fomento da Secretaria de Estado de Cultura, os critérios adotados permitem que os recursos sejam distribuídos de uma forma mais abrangente, envolvendo de modo mais uniforme a população.

“A descentralização e a democratização do acesso aos recursos é uma premissa do Governo de Minas Gerais e favorece a participação nos editais. Os critérios permitem promover temas de interesse da sociedade brasileira e ampliar a participação do interior, dando mais visibilidade a trabalhos que possuam como temática a inserção social e de grupos, coletivos e artistas de fora da capital mineira”.

Inovação

O edital traz mais flexibilidade no prazo de inscrição. Agora as propostas podem ser inscritas durante todo o ano, não ficando limitadas às datas das viagens estipuladas pelas seleções. Os proponentes que planejam embarcar somente em dezembro já podem pleitear os recursos. As inscrições estão abertas para qualquer período de viagem em 2018.

Confira o cronograma:

04

Valores

Os projetos apresentados podem ser contemplados total ou parcialmente, a depender da disponibilidade de recursos.  O objetivo é aprimorar o uso da totalidade dos valores disponíveis. Cada uma das quatro seleções tem o valor máximo de R$ 75 mil a serem destinados a propostas de intercâmbio naquele período.

Neste ano, os valores dos incentivos para todos os destinos foram reajustados a fim de efetivar o apoio às viagens. O valor destinado será individual ou por integrante, em casos de propostas que envolvam execução coletiva. O valor máximo por grupo será de R$12 mil para viagens nacionais e de R$32 mil para viagens internacionais. Conheça os tetos orçamentários estipulados por destino:

05

Circula Minas em números

O Circula Minas contemplou 105 projetos das mais diversas manifestações artísticas e beneficiou 256 pessoas. Ao todo, 25 países e 9 cidades brasileiras receberam a cultura mineira durante os três últimos anos, período em que o programa passou a ser realizado por meio de edital.

Dentre os destinos estão Estados Unidos, na América do Norte, Coréia do Sul e China, na Ásia, França e Alemanha, na Europa, El Salvador e Cuba, na América Central, Argentina, Colômbia e Chile, na América do Sul, Cabo Verde, na África, e Austrália, na Oceania.

*Com informações da Agência Minas.

LEIA MAIS

Comentários