Festival on-line e gratuito Conexões Urbanas Femininas — Impressões Femininas na Cultura de Rua promove slam

As inscrições, apenas para mulheres, acontecem até dia 21 de outubro e o tema homenageia Dina Di, a Rainha do Rap

O Festival Conexões Urbanas Femininas – Impressões Femininas na Cultura de Rua, que acontece de 29 de outubro a 1o de novembro, promove o Slam Conexões Femininas. As inscrições já estão abertas, exclusivas para mulheres, e vão até o dia 21 de outubro. O tema é a Rainha do Rap, Dina Di.

“Este ano, o nosso slam temático vai homenagear Dina Di, símbolo de muitas das nossas lutas enquanto mulheres periféricas, mães, irmãs, filhas, companheiras, artistas da cultura hip hop. É graças ao seu legado que hoje estamos aqui. A Rainha do Rap abriu caminhos antes impensados e defendeu todos os dias da sua vida o espaço das mulheres no rap. Sua vida é exemplo para nós e a sua morte nos mostrou o quanto ainda precisamos lutar por dignidade, reconhecimento e melhores condições de vida”, explica o festival.

O Slam Conexões Femininas é um espaço especial na programação e, para participar, basta gravar o seu vídeo e encaminhar através de formulário. As melhores performances recebem premiação em dinheiro e são exibidas durante o festival. E na competição de poesia falada do Festival Conexões Urbanas Femininas, o público também tem voz e vez: com curtidas e compartilhamentos nas redes sociais, ele decide as melhores slammers. As três primeiras colocadas têm os vídeos exibidos na programação oficial do festival e recebem, respectivamente, R$ 1.000,00, R$ 600,00 e R$ 400,00.

Regulamento Slam Conexões Femininas

  • As inscrições são feitas através deste formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfPJcgnwtCmfpTaDtd-ZsVtdI4qEfKLhLqL0Bcs8Gt2HhyMqg/viewform; 
  • Inscrições até dia 21/10;
  • Apenas mulheres podem enviar vídeos, mas todos podem votar e fortalecer o rolê;
  • Vídeos devem ter até devem ter até 3 minutos de duração e 100 MB;
  • As poesias devem ser autorais;
  • O slam é temático e será avaliada a relação da poesia com o tema (homenagem à Dina Di);
  • Os vídeos precisam ser inéditos, ou seja, não serão aceitas gravações slams anteriores;
  •  As ganhadoras vão precisar emitir nota fiscal.

Sobre o Festival Comexões Urbanas Femininas — Impressões Femininas na Cultura de Rua

A 1a edição do Festival Conexões Urbanas – Impressões Femininas na Cultura de Rua foi realizada no Estádio Nacional de Brasília, em 2017, com apoio da Lei de Incentivo à Cultura. Com uma mostra dos processos criativos de mulheres na arte urbana, oficinas, vivências, performances e apresentações artísticas, proporcionando acesso gratuito à população. A música é um dos carros-chefes do projeto e, por isso, um palco especial foi construído para valorizar, difundir e promover carreiras artísticas de MCs e DJs, que contou com nomes como DJ Donna, Dj Simmone Lasdenas e Rimas e Melodias. Além disso, graffiti, danças urbanas, moda e economia criativa foram elementos presentes e protagonizados por mulheres, a maior parte delas, moradoras de periferias.

A 2ª edição aconteceu na Casa Abrigo, espaço de acolhimento às mulheres vítimas de violência doméstica, onde mães e filhos vivem, temporariamente, num momento decisivo para virada de chave, em busca de uma nova vida sem violência, com autonomia financeira, autoestima e novas perspectivas de futuro. O projeto buscou contribuir, por meio de formativas sobre mercado de trabalho, compartilhamento de ferramentas e estratégias para geração de renda na cultura, entre outras atividades, também voltadas para o entretenimento, autoestima, saúde mental e autocuidado. Participaram nomes como Dj Donna, Vera Veronika, Layla Moreno e Rubia Nunes.

A motivação fundante é contribuir para a redução das desigualdades de gênero dentro da cadeia produtiva das artes, olhando, especialmente, para a cultura urbana, cujo protagonismo das mulheres tem sido, de forma singular, especialmente negado, com as suas existências e saberes.

Sobre Dina Di

Dina Di, nome artístico de Viviane Lopes Matias, foi uma rapper brasileira, conhecida como “Rainha do Rap”. Considerada a primeira mulher a alcançar sucesso no rap nacional, Dina Di iniciou sua carreira em 1989, aos 13 anos. Em 1994, fundou o grupo Visão de Rua que posteriormente lançou a sua primeira canção de trabalho chamada “Confidências de uma Presidiária”, que relata o dia-a-dia do sistema carcerário feminino. Foi indicada a muitos prêmios e festivais brasileiros, como o Prêmio Hutúz, onde foi escolhida na categoria “Melhores Grupos ou Artistas Solo Feminino da Década”, em 2009. Lançou vários álbuns em parceria com o grupo Visão de Rua. Faleceu aos 34 anos, após contrair uma infecção hospitalar no parto de sua segunda filha, em 2010

Mídias Sociais do Festival

20201008_SLAM1.1

LEIA MAIS

Comentários