Documentário brasileiro tem grandes chances de ganhar Oscar e diretora comemora

Na segunda-feira passada, 13 de janeiro, a academia norte-americana de cinema anunciou os candidatos ao Oscar em 2020. Entre os concorrentes ao prêmio de melhor documentário figurava, inesperadamente, o documentário brasileiro “Democracia em Vertigem”, assinado pela diretora Petra Costa.

Ela usou as redes sociais para comentar a surpresa e a alegria de estar entre s indicados. “Estamos absolutamente emocionados e extasiados por nossos colegas terem reconhecido a urgência deste filme, e honrados por estarmos na companhia de documentários tão importantes. Numa época em que a extrema direita está se espalhando como uma epidemia, esperamos que esse filme possa nos ajudar a entender como é crucial proteger nossas democracias”, escreveu a diretora do documentário em seu perfil do Instagram.

Petra, que escreveu o texto também em inglês, seguiu: “Está se tornando cada vez mais evidente o quanto o pessoal é político para tantos ao redor do mundo, e acredito que é por meio de histórias, linguagem e documentários que as civilizações começam a se curar.”

é importante ressaltar que Petra é a única brasileira que pode trazer o Oscar para casa este ano. “Dois papas”, filme dirigido por Fernando Meirelles, teve três indicações, mas o brasileiro não entrou na lista de diretores. “Democracia em vertigem” mostra o processo de impeachment de Dilma Rousseff e a crise política no Brasil, e foi lançado pela Netflix em junho de 2019.

A diretora mineira Petra Costa, tem 36 anos e assinou os documentários “Elena” (2012) e “Olmo e a gaivota” (2014), premiados, respectivamente, nos festivais de Brasília e do Rio. Esta é sua primeira indicação ao Oscar.

LEIA MAIS

Comentários