Confira 20 dicas para curtir as festas em segurança

Em um bolso, o aparelho celular. No outro, as chaves de casa e do carro. E, ainda, tem a carteira e, para as mulheres, a bolsa. No meio de todos esses pertences particulares uma preocupação: a de ser roubado em quanto curte uma festa ou show. Infelizmente, os furtos já são parte da maioria dos eventos promovidos no Brasil. Um problema que aflige tanto o público, que convive com o susto e o prejuízo, quanto para produtores, que precisam superar os problemas de segurança para fortalecer as suas produções culturais.

O Trem das Gerais separou algumas dicas que podem te ajudar a lidar com a crescente criminalidade em festivais, festas, show e demais eventos culturais – como as festas juninas que já começam a pipocar no calendário brasileiro. Confira os próximos parágrafos!

Cuidado com crianças:

  • Oriente seus filhos a utilizarem com discrição os celulares e demais equipamentos eletrônicos, pois as crianças são vítimas potenciais dos bandidos, principalmente por não oferecerem maior resistência;
  • Ao retornar para sua residência notando algum sinal estranho (porta aberta, luzes acesas etc.), não entre em casa, chame a polícia. Não deixe de comunicar a presença de elementos suspeitos nas proximidades de sua casa;
  • Evite mexer em bolsas ou carteiras para entregar dinheiro às crianças, seja na saída de casa, no trânsito ou nas proximidades do evento, pois os assaltantes estão sempre esperando uma oportunidade. Opte por entregar o dinheiro para a criança antes de sair de casa;
  • Ensine a criança para que ela aprenda o próprio endereço, telefone, nome dos pais, nome dos responsáveis e que procure um policial caso se sinta perdida, assustada ou ameaçada. A criança também deve ser orientada a evitar contato com pessoas estranhas, aceitar caronas, alimentos ou presentes.

Durante a festa:

  • Não saia também com grandes quantias de dinheiro ou cartões de crédito se não houver necessidade e não abra a carteira ou a bolsa na frente de estranhos;
  • Não use bolsos traseiros para carregar carteira ou dinheiro;
  • Previna-se contra a ação dos marginais não ostentando objetos de valor como relógios, joias, pulseiras, celulares, tablets, colares etc.;
  • Evite transitar em ruas ou praças mal iluminadas;
  • Se sentir que está sendo seguido, entre em algum estabelecimento comercial ou atravesse a rua;
  • Evitar comprar e consumir alimentos e bebidas alcoólicas de fontes não confiáveis, principalmente ambulantes. Não se sabe a procedência nem tão pouco como é sua manipulação e preparo. Com isso se evita problemas com intoxicação;
  • Ao sair sozinho, procure sempre ficar no centro da calçada e na direção contrária ao trânsito. Fica mais fácil perceber a aproximação de um veículo suspeito.

No trajeto, em transportes públicos:

  • Cuidado com bolsas ou mochilas transparentes, pois o marginal vai perceber que você leva documentos, dinheiro, aparelho celular etc.;
  • Procure não dormir durante o percurso, pois os meliantes aproveitam-se deste momento para realizar o furto;
  • Dentro do coletivo mantenha a bolsa, carteira, pacotes ou sacolas na frente do seu corpo;
  • Em ônibus com poucos passageiros, procure viajar próximo ao motorista;
  • Ande sempre com o dinheiro da passagem contado ou dê preferência ao vale transporte;
  • Evite ficar sozinho em pontos de ônibus isolados.

Com celulares e smartphones:

  • Atender o celular na rua, deixa o usuário distraído e, ao mesmo tempo, vulnerável;
  • Não use celular na cintura e/ou em bolsos, pois permitem que os assaltantes o furtem com facilidade;
  • Nunca o deixe o celular à mostra;
  • Não deixe seu celular sobre mesas, balcões e cadeiras de restaurantes ou lojas, pois os meliantes aproveitam qualquer descuido para furtá-los.

*As dicas foram dadas por Marcos Roberto de Araújo, especialista em segurança do Grup GR.

LEIA MAIS

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.