Comissão avaliadora seleciona os doze finalistas para as apresentações ao vivo do Festival da Música de Itabira

A Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), com o apoio da Prefeitura de Itabira, lançou no mês de outubro o edital para o Festival da Música de Itabira. O objetivo é dar visibilidade para os artistas independentes e criar um ambiente em que possam mostrar e divulgar os seus trabalhos.

Além disso, o evento é apontado como uma oportunidade para que artistas, bandas, produtores, donos de casas de shows e público possam realizar um intercâmbio cultural, conhecendo assim novas produções e representantes da música. A FCCDA é a organizadora do Festival e tem o site Trem das Gerais e a Origami Propaganda como parceiros da iniciativa.

Durante todo o mês de novembro, os interessados puderam se inscrever para a primeira fase do Festival. As inscrições se encerraram no dia 2 de dezembro e durante o processo, a FCCDA recebeu, ao todo, 37 propostas de músicos e bandas de todo o país interessados em participar do Festival da Música.

Nessa primeira etapa, os inscritos mandaram links de vídeos e áudios de músicas autorais e não autorais. Agora, com acesso a essas informações, uma comissão técnica avaliará as propostas e, por meio de notas, classificará os 12 melhores para a fase de apresentações ao vivo. A lista de classificados será divulgada no dia 18 de dezembro.

COMISSÃO TÉCNICA AVALIADORA
Para que as propostas enviadas sejam devidamente julgadas com a qualidade musical técnica necessária, a FCCDA convidou três competentes músicos do cenário mineiro.

Gabriel MuzziO itabirano Gabriel Muzzi tem 31 anos e é cantor e vocal coach em Belo Horizonte. Pós-graduando em Educação Musical pelo Conservatório Brasileiro de Música (RJ) e licenciado em Canto pela Universidade do Estado de Minas Gerais, já participou de vários festivais de música pelo Brasil. Atualmente, estuda belting contemporâneo (técnica vocal dos musicais da Broadway) com o professor Beto Sorolli. Entre 2010 e 2012, atuou no papel do Sr. Vogelsang no singspiel “O Empresário” de Mozart, sob direção de Patrícia Valadão e Henrique Passini. Participou, ainda, de cursos de fisiologia vocal, dança (jazz e sapateado), interpretação e teatro musical. Em 2014, foi convidado pela produção do programa Máquina da Fama (SBT) a homenagear e interpretar o cantor norte-americano Barry Manilow. Em 2015, foi o preparador vocal e diretor musical do espetáculo CALE-SE da Companhia Itabirana de Teatro. Atualmente, é professor e coordenador do curso de canto do Núcleo Villa-Lobos de Educação Musical em Belo Horizonte.

Mineiro de Bom Jesus do Amparo, Ivan Fonseca é guitarrista, produtor e professor. Começou o estudo da música aosIvan Fonseca 15 anos e logo dominava os primeiros acordes no violão para, em seguida, descobrir o universo inimaginável da guitarra elétrica. 
Formou-se em guitarra em 1999. É professor de música há 18 anos. Já participou de grandes eventos como a abertura do maior rodeio indoor da América Latina, em Belo Horizonte, tocando composições autorais para um público de 25 mil pessoas. Desde 2002 vem gravando trilhas sonoras e jingles para rádios, empresas e produtoras, além de participar de gravações em CDs e DVDs de diversos artistas. Em 2007, trabalhou com o grupo Repercussão, em apresentações que uniam a guitarra do rock com tambores culturais de congado. Em 2012, lançou seu primeiro CD instrumental, “Equilíbrio”, e está em fase final de produção do segundo álbum, também instrumental.

Daniel BahiaDaniel Bahia é guitarrista, violinista, produtor musical e professor de música. Desde sempre gostou de música, influenciados pelos discos de seu pai. Estudou teoria musical e percepção com Andréa Carvalho e Vlad Cerqueira, na UFMG. Desenvolveu trabalhos com Claudiney Godoy (MPB), Orquestra da Funcec (Standart), Relicário, Amina, Trio Experience, Umbigo e, mais recentemente, uma participação no novo disco do sempre eclético Letto. Está em fase de produção de seu trabalho solo, com influências dos ritmos mineiros, do jazz e do rock. É ainda graduado em violão pelo Departamento de Música da UFOP, tendo como tutor o músico mineiro Tabajara Belo. Esse talentoso monlevadense é, hoje, responsável pela direção da Daniel Bahia Escola de Música e sua cidade natal.

PRÓXIMA ETAPA
Na segunda etapa do Festival da Música, os 12 melhores se apresentarão em shows na Fazenda do Pontal em um espaço especialmente projetado para receber os músicos, o júri técnico e o público. Serão premiados primeiro e segundo lugar geral. Além disso, por meio de votação popular, o público escolherá o artista de sua preferência que receberá uma premiação especial.

O primeiro lugar receberá um prêmio de R$ 3.000,00 (três mil reais), o segundo lugar receberá R$ 2.000,00 (dois mil reais) e o vencedor do voto popular, R$ 1.000,00 (um mil reais). Caso o candidato vencedor pelo júri técnico sagrar-se também vencedor pelo voto popular, serão cumuladas ambas premiações. As apresentações ao vivo acontecerão nos dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2016, sendo a apresentação final dos vencedores no dia 17 de janeiro.

O regulamento completo e outras informações sobre o Festival podem ser acessadas no site www.tremdasgerais.com.br/festivaldamusica. Outras informações e dúvidas pelo telefone (31) 3835-2102 ou pelo e-mail festivaldamusica@tremdasgerais.com.br.

Comentários