Colaborativismo na cena musical independente belo-horizontina

A capital ganha um forte companheiro na cena independente: o Indicaí! O projeto já tem o reconhecimento de artistas e profissionais da cena autoral pela insaciável vontade de se tornar um espaço onde todos (artistas e não artistas) podem se reunir em prol de uma nova forma de fazer e difundir música: a colaboratividade.

A iniciativa surgiu em setembro de 2015 propondo suprir a falta de um espaço capaz de unir todos os segmentos da música, dentre eles os que costumam não obter seu espaço na mídia. Um dos principais objetivos do projeto é dissipar as divisas que se criam entre quem faz e quem consome música. Além disso, criar um aplicativo para possibilitar a produção interativa de conteúdo e movimentar a cena com EPs e videoclipes colaborativos. O projeto, livre de preconceitos, deu voz a bandas independentes de quaisquer vertentes e apoia, contudo, a música e cultura LGBT.

As matérias do site são elaboradas de forma horizontal entre público e artista, a partir de dicas de pautas enviadas pelos indicantes, como são chamados aqueles que contribuem com o Indicaí. Eles podem indicar via redes sociais (mensagens ou comentários no Facebook, Twitter ou Instagram) ou e-mail. Existe uma equipe fixa que é responsável por gerir as sugestões e direcioná-las a um enfoque e formato mais adequado ao conceito trabalhado no Indicaí. Os indicantes também podem participar de outras formas, como, por exemplo, na redação de textos etc.

O projeto independente, que já existe nas redes sociais, foi concebido pelo estudante de jornalismo Gabriel Peixoto. Para viabilizar a plataforma, que pretende se transformar em uma startup, dispõe de um espaço físico em parceria com a Maloca Produtora e já pode ser acessado em http://indicai.mus.br/.

“A Maloca Produtora, além de oferecer espaço para que nossa redação funcione, auxilia nas produções musicais colaborativas do projeto e coloca à nossa disposição a estrutura de estúdio e equipamentos para que tudo aconteça. A parceria, que segue os moldes de coworking, existe desde março”, afirma Gabriel Peixoto, idealizador do Indicaí.

“Agosto é o mês de aniversário da empreitada, que surgiu de um grupo de Facebook no mesmo mês do ano passado, por isso, preparamos um mês de eventos e lançamentos, como uma festa na casa de shows A Autêntica, uma mesa de debates no Idea Espaço Cultural para debater a interatividade e a colaboratividade na produção musical, além de um videoclipe”, completa Gabriel Peixoto.

14002314_10206838496342893_346420224_o

Indicaí realiza o Reverberar – 1º Festival da Música Colaborativa

Em comemoração ao mês de seu primeiro aniversário, o projeto de música colaborativa Indicaí realiza o Reverberar – 1º Festival de Música Colaborativa com eventos, shows e ações de discussão sobre a colaboratividade, produção e divulgação de música online. O evento acontece entre os dias 18 a 30 de agosto em locais parceiros do projeto. A ideia do festival é dar um pontapé inicial para uma discussão que já acontece no meio digital de forma ampla, porém diluída.

O Reverberar é resultado das parcerias com a casa de shows A Autêntica, Maloca Produtora, Idea Espaço Cultural, Instituto de Comunicação e Artes do Centro Universitário UNA, o projeto de extensão da mesma instituição, J.E².D.I., – Jornalismo Experimental, Empreendedorismo e Diversidade, e a professora, escritora e palestrante Maria Flávia Bastos, mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local.

14055723_10206838496422895_1881223815_n

Programação

18 de agosto – Sessões Autênticas Especial – Lançamento do site do Indicaí na casa  A Autêntica;

23 de agosto – Aniversário da música colaborativa: 1 ano de Indicaí;

24 de agosto – Mesa de debate: Colaboratividade e interação na produção de conteúdo para a internet, com Gabriel Peixoto (Indicaí), Nobat (ALA4), Nina Gazire (JE²DI – Jornalismo experimental, empreendedorismo e diversidade) e mediação de Léo Moraes (A Autêntica) – Idea Espaço Cultural;

27 de agosto – Lançamento da aba “Música Representativa” (com o lançamento online de entrevistas com Inês Brasil e Karina Buhr), que trata de questões de diversidade e gênero na música, na festa I Hate Remix, da @bsurda;

30 de agosto – Lançamento online da música tema do projeto, parceria entre MC Glendha (Uberaba) e Igor Venal (Itabira/Belo Horizonte), produzida de forma colaborativa.

LEIA MAIS

Comentários

Músico, compositor e cachaceiro. Estudante e professor de música.