Carnaval de Belo Horizonte contará com o cortejo de 550 blocos de rua

Belo Horizonte, Minas Gerais, se prepara para receber o melhor Carnaval dos últimos anos, com a estimativa da participação de 3,6 milhões de foliões, 550 cortejos de blocos de rua e muitas melhorias na estrutura: a quantidade de banheiros químicos aumentou, haverá mais ambulantes nas ruas, nove palcos espalhados pela cidade, mais apoio e melhores condições para os desfiles de Escolas de Samba e Blocos Caricatos.

O Carnaval 2018 está apresentando também uma evolução substancial da política de patrocínio e a expectativa é que o número de foliões seja 20% superior ao do 2017, sendo cerca de 180 mil turistas.

Pronta para a folia

A capital mineira está pronta para a folia. O período oficial do Carnaval de Belo Horizonte é de 27 de janeiro a 18 de fevereiro, com eventos no pré-Carnaval e também depois da Quarta-Feira de Cinzas, levando estrutura, logística e produção até o domingo seguinte.

Este ano são 480 blocos de rua cadastrados pela Belotur, que farão cerca de 550 cortejos, número superior ao de 2017, quando 416 desfiles alegraram a cidade. Nove palcos oficiais vão compor a programação do Carnaval de Belo Horizonte, na região Central, Savassi, Barreiro, Venda Nova, Norte e Leste da cidade.

Os desfiles de Blocos Caricatos vão acontecer na avenida Afonso Pena no dia 12, segunda-feira, a partir das 18h. Já as Escolas de Samba desfilam na terça, 13 de fevereiro, também a partir das 18h. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As Escolas de Samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os Blocos Caricatos, também R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.

A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura da rua na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço, arquibancadas com mais conforto.

Cerca de 9,6 mil ambulantes foram credenciados para trabalhar durante o período oficial do Carnaval de Belo Horizonte e a movimentação financeira no período momesco deverá alcançar cerca de R$ 637 milhões, cifra 20% superior àquela registrada no ano passado. Em 2017, a receita proveniente dos gastos dos moradores da capital e turistas chegou a R$ 531 milhões. Essa movimentação financeira considera o impacto direto e indireto de foliões na cidade.

01

Saúde

Na área da saúde, haverá reforço na frota de ambulâncias do SAMU para o período de Carnaval. Serão mais três ambulâncias, sendo uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB), em um total de 31 ambulâncias.

Além disso, as nove Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) estarão funcionando todos os dias, 24 horas por dia, no período de 9 a 14 de fevereiro. Serão instalados dois Postos Médicos Avançados (PMA’s) para atendimento da população, com apoio e parceria dos Bombeiros, na Praça da Estação, no Centro de Referência da Juventude (CRJ), rua Guaicurus, 50 Centro, e na rua Paraíba em frente ao número 340, no bairro Funcionários, nas imediações da Praça Tiradentes.

O transporte coletivo também terá planejamento especial a partir de sábado, dia 9, para atender usuários e foliões de acordo com os eventos previstos e a limpeza urbana será garantida com o plantão de 800 garis todos os dias do período oficial do Carnaval, atuando antes da passagem dos blocos, durante os desfiles e após a dispersão dos foliões. Esse número também aumentou em relação a 2017, quando 600 garis ficaram de plantão.

A festa momesca em Belo Horizonte tem o patrocínio da Skol, parceira há cinco anos na folia da capital, e da Uber, nova incentivadora do Carnaval.  O Carnaval de Belo Horizonte também conta com a parceria da Rede de Hotéis Vert, Jornal O Tempo, BH Airport e da Locadora de Equipamentos Lafaete.

*Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte.

LEIA MAIS

Comentários