Arquivo Público Mineiro orienta municípios sobre preservação e conservação de acervos

Preservar a história e a memória de um povo. Com esta missão, o Arquivo Público Mineiro (APM)  busca apoiar os municípios mineiros que enfrentam dificuldade na criação e manutenção de seus arquivos públicos. Para isso, as quatro diretorias do órgão – Gestão de Documentos, Conservação de Documentos, Arquivos Permanentes e Acesso à Informação e Pesquisa –  disponibilizam aprimoramento técnico para os gestores de arquivos públicos municipais.

“Muitos municípios desconhecem a forma correta de preservar os documentos. O manejo e armazenamento incorreto contribuem para a deterioração”, explica o superintendente do Arquivo Público Mineiro, Thiago Veloso.

O objetivo do Arquivo Público Mineiro (APM), segundo o superintendente, é justamente ajudar os municípios, não só na qualidade dos serviços prestados ao público, mas também para orientá-los sobre a durabilidade dos documentos. “É um desafio conseguir atender tantas cidades que precisam de conhecimento em arquivo público. Por outro lado, a história não pode ser perdida”, diz.

Um acervo municipal, vale lembrar, pode ser composto por documentos em diversos tipos de suporte, a saber: livros, álbuns, fotografias, quadros, microfilmes, películas, dentre outros.

Como participar

O município que necessitar de avaliação do Arquivo Público Municipal pode fazer a solicitação pelo e-mail apm@cultura.mg.gov.br ou pelo telefone (31) 3269-1167. O Arquivo Público Mineiro, então, vai deslocar até o município para avaliar a condição do acervo. Às equipes municipais, basta vir para a capital para receber orientações sobre preservação e conservação de arquivos públicos, de forma gratuita, devidamente planejada.

Junto aos municípios, os técnicos do APM trabalham a situação do acervo, como estado de conservação ou deterioração e armazenagem. A partir disso, são elaborados laudos técnicos com orientações para a  preservação e recuperação em caso de deterioração, sinistro ou desastre, como enchentes ou incêndios.

Preparação

Diversos municípios já foram orientados por meio deste trabalho, com aprofundamento de técnicas como criação e implementação de arquivos municipais, gestão documental, organização e preservação de acervos arquivístico. O município de Oliveira, na região Oeste de Minas, é um exemplo.

A coordenadora do setor de patrimônio cultural da Fundação Casa de Cultura de Oliveira, Rosimary Amaral, acredita que o apoio do Arquivo Público Mineiro faz com que os municípios adotem medidas simples para conservar os arquivos.

“O arquivo público de Oliveira está em um casarão do século XIX. Com isso, é preciso um cuidado maior com esses documentos, deixando o ambiente arejado,” conta. O imóvel, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), abriga o Arquivo Público e o Memorial Carlos Chagas, com quadros, livros, medalhas e fotos referentes e pertencentes a Carlos Chagas.

Consulta Online

Para democratizar a consulta aos acervos documentais sob sua guarda, o Arquivo Público Mineiro (APM) criou o Sistema Integrado de Acesso do Arquivo Público Mineiro (SIAAPM).

Trata-se de uma base informatizada para a disponibilização do acervo documental, além de informações básicas sobre o APM, gestão de documentos e arquivos municipais. No sistema, o município também encontra orientação para fins de criação, cadastro e manutenção do seu arquivo.

Arquivo Público Mineiro

O Arquivo Público Mineiro é uma superintendência da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) responsável por planejar e coordenar a gestão de documentos, executar o recolhimento, a organização e a preservação de documentos provenientes do Poder Executivo de Minas Gerais e dos arquivos privados de interesse público e social.

O acervo do APM reúne documentos manuscritos, impressos, mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos. São documentos de origem pública referentes à Administração Pública de Minas Gerais produzidos desde o século XVIII, período colonial brasileiro até o século XXI e de documentos de origem privada de interesse público e social.

Criado em Ouro Preto, pela lei nº 126 de 11 de julho de 1895, o Arquivo é a mais antiga Instituição cultural de Minas Gerais. Atualmente, em Belo Horizonte, o APM funciona, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na Avenida João Pinheiro, 372, Funcionários.

*Com informações da Agência Minas.

Comentários