A resistência negra belorizontina

O Instante da Música Negra (IMuNe) é uma plataforma de divulgação da cultura negra com intuito de reunir nomes da nova geração da música mineira “…Imunizar significa adquirir proteção a uma doença infecciosa, aumentar a resistência, e essa é a nossa lógica, por entender que existe uma infecção na cena cultural, nas instituições, na sociedade, que é a infecção do racismo, essa pratica antiga que perpetua até hoje”, afirma Guilherme Ventura.

A idealizadora do projeto é Bia Nogueira, que também participa de diversos projetos e coletivos, dentre eles o coletivo Mulheres Criando e o Festival Sonora – Ciclo Internacional de Compositores, que já alcançou seis países. A ideia primordial, tanto do IMuNe quanto dos demais movimentos, são união e busca de espaço para uma maioria com mínima representatividade. “Ser preto não é fácil, ser artista preto é menos fácil ainda. Você, na maioria da vezes, mora em periferia, trabalha muito para pagar suas contas e não tem muito tempo disponível”, pontua Bia Nogueira.

A resistência negra reivindica seu espaço por direito, as dificuldades não meramente sociais vividas pelos artistas negros também invadem a esfera artística. O caminho por algo maior que a arte individual gera força e conquista aos apoiadores do movimento negro. “Somos diversxs artistas negrxs de Minas Gerais! Nos aquilombamos e formamos uma rede de colaboração e difusão. Somos: Bia Nogueira, Guilherme Ventura, Grupo dos Dez, Maíra Baldaia, Marquim D’Morais, Natália Avelar, Raphael Sales, Rodrigo Jerônimo, Rodrigo Santos, Sam Luca, Talita Barreto e outrxs artistas negrxs que virão em outros instantes”, conta a minha conterrânea Maíra Baldaia.

“Temos que fomentar a cena da música negra porque em BH ela é poderosíssima e os meios de comunicação, infelizmente, os editais e espaços tradicionais, onde o dinheiro circula, nos excluem. Então temos que nos fortalecer, inclusive para tomar também esses lugares. Nós temos que estar nesses lugares e, juntos, é mais fácil sempre”, completa Bia Nogueira.

Nós temos um sonho

A Resistência Negra não se resume unicamente aos problemas de racismo relacionadas aos meios artísticos. Ela tem uma premissa valiosíssima: sobrevivência.

Segundo levantamento do Mapa da Violência de 2014, elaborado pela Secretaria Nacional de Juventude e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, cerca de 56 mil pessoas foram assassinadas em 2012, sendo 30 mil jovens entre 15 e 29 anos; destes, 77% eram jovens negros e moradores das periferias de áreas metropolitanas. O levantamento da Anistia Internacional também confirma essa preocupante estatística, mostrando que mais de 23 mil jovens negros são assassinados por ano no Brasil.

O projeto “Nós Temos um Sonho”, idealizado pela cantora, compositora e intérprete Lu Daiola, tem como base fundamental lutar pelas causas do povo negro, disseminar sua mitologia e cultura e os desdobramentos de sua história, atrelada ao estudo e pesquisa na música, artes cênicas, contação de histórias e performance. O lançamento do clipe “Deixe o Erê ” é a primeira ação do projeto, que tem Sérgio Pererê na direção musical e na composição da música, feita em parceria com Tamara Franklin e Douglas Din.

“Deixe o Erê” denuncia os crimes sedimentados e naturalizados num cotidiano de perseguição silenciosa, cravado por balas e que impedem nossos filhos de voltarem para casa. Queremos fortalecer um grito de amor. Essas iniciativas são respostas dos artistas ao genocídio de jovens negros e ao racismo institucionalizado.

A canção marca o início do projeto “Nós Temos um Sonho” que, além do clipe e da campanha nas redes sociais, promoverá outras ações de cunho social e de formação cultural.

A luta é de todos nós! Negligenciar é o mesmo que compactuar. Abrace também esta luta: “IMuNeze-se”!

Agenda IMuNe:

  • 04/12 – Lançamento do disco “Fio Desencapado”, de Rodrigo Jerônimo, às 20h, no Galpão Cine Horto, entrada R$ 20;
  • 07/12 – Lançamento do pocket-show cênico “Cabaré Madame Satã”, do Grupo dos Dez, e do show “Boto Fé”, de Raphael Sales, às 21h, no Teatro 171, entrada gratuita;
  • 16/12 – Lançamento dos videoclipes “Dandara”, de Bia Nogueira, e “Criola”, de Guilherme Ventura, às 20h30, no Galpão Cine Horto, entrada R$ 20;
  • 18/12 – Lançamento do disco “POENTE e Outras Paisagens”, de Maíra Baldaia, às 17h30, na Casa do Baile, entrada gratuita.

Redes sociais:

Nós Temos um Sonho: https://www.facebook.com/nostemosumsonho e https://www.youtube.com/watch?v=JX4Mx0sDFS4

Sonora: https://www.facebook.com/sonora.compositoras

IMuNe: https://www.facebook.com/instantedamusicanegra/

LEIA MAIS

Comentários

Músico, compositor e cachaceiro. Estudante e professor de música.