A brasilidade do EP “Arco Íris Preto e Branco”, de Igor Venal & O Chiqueiro Elétrico, ganha as ruas

Para quem se acostumou a escutar Igor Venal interpretar canções indie e do rock alternativo, terá uma grata surpresa com o recém-lançado EP “Arco Íris Preto e Branco” – obra que o artista itabirano assina junto com a banda O Chiqueiro Elétrico. O álbum, que chegou às ruas na terça-feira, 21 de junho, é recheado de sonoridades típicas brasileiras e letras bem arranjadas.

No final de maio, Igor Venal & O Chiqueiro Elétrico já haviam dado um gostinho do que seria esse novo trabalho ao lançar o single “Arco Íris Preto e Branco”, que dá nome ao EP do grupo e presta homenagem ao músico, compositor, poeta e escritor itabirano Newton Baiandeira, falecido em 2012 e autor da música. Já nesse single era possível identificar a assinatura desse álbum: a brasilidade dos arranjos e letras politizadas.

“A influência do interior é o tempero principal das composições, que têm caráter regional, apesar das harmonias jazzísticas e tempos quebrados. O grupo é composto por jovens músicos interioranos que retratam nas letras questões sociais, políticas e culturais. Jovens esses que estão em transição para a cidade grande, para BH, com o intuito de promover ideias e ideais, com arranjos interessantes e buscando fomentar a cultura musical nacional”, destaca Igor Venal.

Gravado de maneira independente e em um estúdio caseiro, “Arco Íris Preto e Branco” contou com direção artística do flautista e professor da Escola Livre de Música de Itabira (ELMI), Daniel Pantoja, arranjos de percussão de Juninho Ibituruna e masterização e edição de Policarpo Ribeiro. O EP foi gravado com Igor Venal na voz principal, Augusto Ribeiro nos arranjos de contrabaixo, Marcelo Maia nos teclados, Iago Lorena nos violões e guitarras, e Carol Morais na voz principal e backing vocals. Filipe Melo e Rubens Costa participaram da gravação de algumas faixas.

Porém, O Chiqueiro Elétrico já se apresenta com nova formação, como pôde ser acompanhado na abertura do 1º Festival de Inverno de João Monlevade, na última sexta-feira, 18 de junho, e que também estará no 42º Festival de Inverno de Itabira, no dia 08 de julho. A nova composição tem Igor Venal nos arranjos, composição, violão e voz principal; Iago Lorena na composição, arranjos, guitarras e vocal; Bárbara Lopes nas vozes e percussão; Ricardo Reis no violão, escaleta e vozes; Paulinho Almeida na percuteria e Filipe Melo no contrabaixo.

igor_venal_lançamento_02
Igor Venal & O Chiqueiro Elétrico se apresentaram na abertura do 1º Festival de Inverno de João Monlevade.

“O álbum surgiu quando encontrei com Iago Lorena nos projetos musicais do Centro Universitário Izabela Hendrix, em BH, em meados de 2015. Posteriormente, outras pessoas se envolveram no projeto. Depois de algumas reuniões da nossa equipe com Daniel Pantoja, músico renomado, residente em Itabira e que nos ajudou a finalizar os arranjos, partimos para o desafio de gravar esse EP caseiro”, conta Igor Venal.

A busca pela brasilidade nesse EP passa essencialmente pela obra de Baiandeira, que possui uma diversidade sonora bastante interessante em seus trabalhos. A produção musical do poeta itabirano foi apresentada a Iago Lorena que, junto com Igor Venal, fizeram um arranjo para a música “Arco Íris Preto e Branco” e, ali estava plantada as primeiras notas que conduziriam toda a produção do álbum d’O Chiqueiro Elétrico.

“Newton [Baiandeira] foi um grande poeta itabirano que conheci através do Igor Venal, que foi apadrinhado por ele antes de falecer e ganhou de presente a música ‘Arco Iris Preto e Branco’. Em BH, nós fizemos um novo arranjo com a intenção de criar algo tipicamente brasileiro, assim como o grande Baiandeira. De certa forma estamos levando conosco o legado desse importante artista”, explica Iago Lorena.

E essa busca pelo resgate de sonoridades tão típicas do Brasil, como a música nordestina, se prolonga durante todo o EP “Arco Íris Preto e Branco”, mas sem perder a originalidade tão necessária para a produção musical atual.

Confira na íntegra o EP “Arco Íris Preto e Branco” de Igor Venal & O Chiqueiro Elétrico

LEIA MAIS

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.