A 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo atrai público de 90 países e estende acesso até 13 de fevereiro

Em uma semana, evento teve mais de 1,338 milhão de visualizações e 79% acessaram a plataforma por celular

A 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo, versão digital do maior evento literário da América Latina, atraiu participantes de 90 países durante o período de 7 a 13 de dezembro, com mais 190 horas de programação, 100 expositores, 330 autores nacionais, oito estrangeiros e 114 reuniões de negócios com compradores internacionais. Realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), a Bienal Virtual atraiu participantes de diversos países, como Estados Unidos, Portugal, França, Reino Unido, Alemanha, Espanha, Japão, Argentina e Bolívia. Devido ao sucesso, a 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo manterá todo seu conteúdo e estandes virtuais até 13 de fevereiro de 2021 pela https://www.bienalvirtualsp.org.br.

Com o tema Conectando Pessoas e Livros, o evento registrou número recorde de participantes às mesas de debates e teve mais de 1,338 milhão de visualizações.  “Esse foi um evento sem precedentes. Pela primeira vez, reunimos pessoas de todo o Brasil e também de diversos países do mundo nessa grande festa que é a Bienal. Tivemos recordes de acesso aos debates.”, afirma Vitor Tavares, presidente da CBL.

Nos sete dias, além dos acessos para assistir às palestras, o público também acessou a plataforma para comprar livros, visitar estandes de livrarias e editoras e profissionais do mercado editorial puderam fazer negócios. O evento também permitiu que o conteúdo fosse mais acessível, garantindo uma Bienal mais inclusiva. Além de ser gratuito, o evento ofereceu tradução simultânea e Libras em suas palestras.

O formato digital revelou também o comportamento de navegação do público: quase 79% dos acessos foram feitos por celulares e 1% por tablets, o que facilitou a participação e compartilhamento por redes sociais. Outros 20% foram de acessos por desktop.

A escritora Iris Figueiredo, que foi mediadora da mesa “Thalita Rebouças – 20 anos de carreira” e participou do debate “Escrevendo para jovens em diferentes mídias”, destacou o diferencial da Bienal Virtual. “Nesse momento tão difícil que estamos vivendo, foi muito bom ter um espaço para falar sobre livros e ver a Bienal romper fronteiras. Leitores que nunca participaram puderam ter a oportunidade de assistir aos bate-papos. A Bienal sempre foi muito importante pra mim, tanto como leitora quanto autora, então participar da programação como autora pela primeira vez foi inesquecível!”, explica a autora de “Céu sem estrelas”.

A 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo homenageou o centenário da obra de Agatha Christie e contou com a booktuber Madame Agatha Killer como mediadora da mesa que reuniu Bel Rodrigues, Raphael Montes e Tito Prates.

“Foi muito enriquecedor e falamos do impacto mundial das obras. Para mim, uma booktuber de alcance pequeno, foi muito importante poder ser vista por um público tão amplo. Foi incrível que o evento tenha se reinventado nesse tempo de pandemia e tenha nos proporcionado essa experiência virtual. Mal posso esperar pela próxima edição”, diz Madame Agatha.

Além das lives e palestras, o público teve acesso às lojas virtuais das 84 editoras participantes e os visitantes puderam conferir os lançamentos de seus autores favoritos e possíveis promoções.

“Este ano, a Bienal homenageou Clarice Lispector, autora publicada pela Rocco. A programação para celebrar seu centenário foi bem completa, com um debate qualificado e temas variados”, afirma o diretor de Vendas e Marketing da Rocco, Bruno Zolotar.

A 1ª Bienal Virtual do Livro de SP contou com Pólen®, um produto Suzano, e a Bic como patrocinadores do evento.

SERVIÇO

1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo
Conteúdo disponível até 13 de fevereiro de 2021: www.bienalvirtualsp.org.br
Instagram: https://www.instagram.com/bienaldolivrosp/
Facebook: https://www.facebook.com/Bienaldolivrosp
Twitter: https://twitter.com/bienaldolivrosp

LEIA MAIS

Comentários