2015: muitos motivos para comemorar com Drummond

Versátil em sua obra, Carlos Drummond de Andrade deixou um grande legado literário que transita pelas poesias, contos e crônicas. A sua importância é inegável para a cultura brasileira e a língua portuguesa. A sua influência se estende além dos limites nacionais. Toda essa obra artística tem um dia especial de celebração: 31 de outubro, dia de nascimento do poeta que, se estivesse vivo, completaria 113 anos em 2015.

Porém, este ano é bastante representativo nas homenagens à memória de Drummond. Dois de seus livros mais emblemáticos também “aniversariam”. “Alguma Poesia”, primeiro livro poético do escritor, completa 85 anos de lançamento. Já o livro “A Rosa do Povo”, considerado pela crítica como uma das melhores obras drummondianas, alcança os 70 anos de seu lançamento. Volumes que presentearam leitores de várias gerações com o que de melhor se encontra na poética brasileira.

O livro “Alguma Poesia” foi lançado em 1930, alguns anos depois da Semana de Arte Moderna, em 1922, evento considerado o movimento inaugural do modernismo brasileiro. A efervescência cultural daquele período reflete na obra inicial de Drummond, que, atualmente, é considerada como a ligação entre a primeira e a segunda geração modernista no país. O volume conta com 49 poemas escritos entre 1925 e 1930.

Os versos que compõem “Alguma Poesia” utilizam coloquialismos estéticos e atentam para temas mais cotidianos, seguindo muito das tendências artísticas que se iniciavam naquele período. A base do que está escrito naquele livro é o poema-piada, onde o humor se mistura com o cotidiano para transmitir os sentimentos de Drummond. Dentre as poesias contidas na obra estão “No Meio do Caminho”, “Quadrilha” e “Poema de Sete Faces”.

Com 55 poesias, “A Rosa do Povo” é o mais extenso da obra drummondiana. O livro, escrito entre 1943 e 1945, é considerado por críticos e especialistas em literatura como o melhor produzido por Carlos Drummond de Andrade. Nele o leitor encontrará muitos poemas em versos livres, que tem métricas irregulares, e versos brancos – aqueles sem rimas. As poesias costumeiramente mais curtas passam a contar com mais versos.

“A Rosa do Povo” foi lançado em 1945, período em que o mundo via a Segunda Guerra Mundial chegar ao seu fim. Nesse mesmo período o Brasil ainda vivia a ditadura Getúlio Vargas. Esse momento histórico e as apreensões geradas por ele são percebidas por Drummond e transmitidos em seus versos. Os poemas desse livro tratam bastante de questões sociais, como a política e a guerra, e do sofrimento do homem e o desencanto com o mundo.

Esse volume conta com poemas como “Carta a Stalingrado”, “Consideração do Poema”, “Procura da Poesia”, “A Flor e a Náusea” e “Nova Canção do Exílio”, dentre outros.

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.